Manifestantes se mobilizam para o 2º ato contra a privatização da saúde e pelo passe livre em CG

 O dia seguinte. Com o sucesso do 1º ato contra a corrupção e pela implementação do passe livre na cidade que reuniu milhares de manifestantes na cidade, nesta sexta-feira (21), os manifestantes realizam o 2º com concentração a partir das 12h em frente a Praça da Bandeira. Na sua página nas redes sociais na internet, os manifestantes indagam que a intenção é não dar tempo para a prefeitura e os policiais se organizarem. “Sem trios elétricos, apenas a força do povo, dia 21 as 12h na praça da bandeira e na entrada do Parque do povo, vamos parar a cidade de verdade! Convide todos do seu face, pois temos pouco tempo pra divulgar!”, comentam na sua página nas redes sociais." avisa.

Em Campina Grande o protesto começou por volta das 16h30 e se encerrou por volta das 20h30, seguindo pelas principais ruas da cidade. A manifestação passou pelo Parque do Povo, local onde estão sendo realizados as principais apresentações do Maior São João do Mundo, e seguiu até o Açude Velho, onde dispersou.

Em vários pontos da cidade havia reforço policial, como em frente à Câmara dos Vereadores e na entrada do Parque do Povo, onde os manifestantes foram impedidos de entrar, mas o protesto seguiu pacificamente. Também em Campina a polícia não registrou incidentes graves.

Aos gritos os manifestantes exponham suas indignações “Prefeito que covardia saúde não é mercadoria”. Os manifestantes, a maioria estudantes, chegaram ontem (20), por volta das 16h na Praça, trazendo faixas, cartazes e bandeiras do Brasil.O comércio na área central está completamente fechado. As lojas fecharam as portas no meio da tarde. Organizado pela internet pelo Movimento Passe Livre, eles protestam inicialmente pela redução da passagem de ônibus, mas também querem melhorias no serviço do sistema, e outras causas. Os manifestantes garantem que o movimento é ideológico e não tem nenhum vínculo político partidário.

Usando muitas mensagens em cartazes; rostos pintados e muitos com máscaras, eles apresentaram as principais causas do movimento como melhora na saúde pública, mais investimentos para educação, segurança e melhora no serviço de transportes públicos. Eles também estão protestando contra a corrupção e contra a aprovação da PEC 37 que reduz o poder de investigação do Ministério Público, qualidade dos transportes públicos e mais investimentos para a saúde.

PBAgora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário