Por pbagora.com.br

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), que votou favoravelmente à aprovação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), recebeu o reconhecimento de entidades e profissionais da educação pelo seu trabalho em favor da aprovação. Como líder do PSB e líder do bloco parlamentar ‘Senado Independente’, formado por 13 senadores de 4 partidos, Veneziano foi um dos defensores e articuladores para a aprovação da matéria.

Veneziano destacou a importância da aprovação do Fundeb para a educação brasileira. Ele disse que o momento foi histórico para a sociedade, visto que a aprovação do Fundeb foi uma das votações mais importantes do Congresso nos últimos anos.

“O novo Fundeb diz respeito a todos nós e não apenas aos educadores e milhões de estudantes. Em meio a tantas dificuldades e tanto segregacionismo.social, o Brasil não poderá ir adiante sem haver efetivos investimentos no ensino, em todos os seus níveis”, disse o senador, em um vídeo gravado e publicado em suas redes sociais.

Ele lembrou que o texto relatado pelo senador Flávio Arns (Rede-PR) foi fruto de consenso entre os parlamentares e vinha sendo debatido desde o início de 2019. Criado em 2007 de forma temporária, em substituição ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), o Fundeb é uma das principais fontes de financiamento da educação no país.

Fundeb Permanente e com mais recursos – Veneziano lembrou que, com a PEC aprovada pelo Senado nos dois turnos, o Fundo passa a ser permanente e aumentará a participação da União, que destinará 5% para a educação infantil e elevará de 60 para 70% na valorização do magistério. “Parabéns a todos os que fazem a educação, parabéns à sociedade brasileira por essa vitória”.

Ele disse ainda que o Fundo se constitui em uma grande conquista para a Educação e para a juventude, e trará grandes benefícios para o País. Para Veneziano, a aprovação foi uma vitória do povo brasileiro, especialmente dos estudantes e professores.

Com a nova proposta, os entes federativos deverão usar os recursos do Fundeb exclusivamente em sua atuação prioritária definida na Constituição: os municípios cuidam da educação infantil e do ensino fundamental; e os estados, do ensino fundamental e médio. Assim, o dinheiro não poderá ser aplicado, por exemplo, em universidades, pois o ensino superior é responsabilidade prioritária do governo federal.

O Fundeb, atualmente, representa 63% do investimento público em educação básica.

Assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Conservadores pedem que Bolsonaro nomeie terceiro colocado na UFPB

Uma solicitação pública feita em um perfil no Instagram denominado “Ordem dos Conservadores” é endereçada ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e pede a nomeação do professor Valdiney Gouveia, terceiro…