Por pbagora.com.br

 Apesar do menor crescimento da economia, da moderação do consumo das famílias, dos juros mais altos e do crédito escasso, o comércio fechou 2013 com crescimento de 4,3%.

O resultado, porém, mostra uma desaceleração frente aos 8,4% de expansão em 2012 e é o menor ritmo desde 2003, quando havia tido uma queda de 3,7%, segundo dados divulgados pelo IBGE hoje.

Em dezembro, as vendas do varejo, em volume, caíram 0,2% em relação a novembro naquele mês, o setor havia registrado expansão de 0,6% na comparação com outubro. Já em relação a dezembro de 2012, a alta foi de 4%.

O setor destoa do comportamento de outros ramos da economia, como a indústria, cuja expansão foi de apenas 1,2% em 2012. Seu desempenho foi impulsionado, segundo analistas, pelo mercado de trabalho ainda aquecido, com baixa taxa de desemprego, e renda em alta embora, já mostre sinais de desaceleração especialmente no final de 2013.

O resultado de 2013 ficou próximo ao esperado pelo mercado uma taxa em torno de 4,5%. A freada frente a 2012 se deve a famílias em patamar elevado de endividamento, à inflação mais alta -sobretudo de alimentos, que inibiu o setor de supermercados principalmente.

O crédito mais seletivo e restrito, além da taxas mais altas de financiamento, também contribuiu para segurar o desempenho do setor.

 

Folha Press

Notícias relacionadas

Mega-Sena pode pagar R$ 2,5 milhões nesta quinta-feira

O concurso 2.364 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 2,5 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h desta quinta-feira (22) no Espaço Loterias…

Menina de 11 anos transforma retalho de couro em pulseiras, no Cariri da Paráiba

Maria Clara Oliveira, do município de Cabaceiras, participou do programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP)   Transformar retalhos de couro em pulseiras coloridas e cheias de estilo para vender às…