Por pbagora.com.br

A venda de imóveis novos na cidade de São Paulo apresentou queda de 43% no primeiro trimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados apresentados nesta quarta-feira (20) pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi).

Em números reais, foram vendidas 4.831 novas unidades nos três primeiros meses de 2009 contra 8.478 no mesmo período do ano passado.

O total de lançamentos imobiliários também apresentou retração, segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp) apresentados pelo Secovi. Passou de 7.025 unidades no primeiro trimestre do ano passado contra 3.154 no primeiro trimestre deste ano – queda de 55%.

 

Segundo o Secovi, o resultado negativo se deve à crise financeira internacional.

 

O economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci, destaca também que a base de comparação, 2008, é um ano que teve dados "excepcionais".

 

"É importante ressaltar, porém, que 2007 e 2008 foram anos atípicos, que registraram números excepcionais, muito superiores às médias históricas, o que tem levado o Secovi-SP a usar o exercício de 2006 como base de comparação. No primeiro trimestre daquele ano, o volume de lançamentos residenciais foi de 2,7 mil unidades, 13% abaixo do resultado dos três primeiros meses de 2009", disse Petrucci, conforme a assessoria de imprensa do Secovi.

 

Expectativas

Comparando com o meses anteriores deste ano, o resultado é melhor, aponta a entidade.

 

Em março, houve alta de 38% em relação a fevereiro e de 94% frente a janeiro. Na avaliação do Secovi, os dados demostram que "os efeitos da crise financeira internacional sobre o setor imobiliário são cada vez mais tênues".

 

A previsão, de acordo com o sindicato, é de melhoria no cenário a partir do mês de abril. Uma sondagem realizada "com parcela significativa" das empresas do setor, segundo o Secovi, aponta alta de cerca de 20% a 25% nas vendas em abril.

 

O objetivo é de que o programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida", do governo federal, ajude a acelerar o processo de recuperação das vendas de imóveis.

 

“O anúncio beneficiou o setor, além do público-alvo. A permanência do tema na mídia por vários dias alavancou a movimentação nos plantões de vendas e colaborou para a efetivação de negócios. Outro fato relevante para o mercado imobiliário será a realização do 5º Feirão da Caixa”, destacou o Secovi em nota.

 

 

G1

Deixe seu Comentário