Por meio de sua assessoria de imprensa, a Vale informou que não comentará a declaração de um executivo da Associação de Aço e Ferro da China (Cisa) sobre o rumo das negociações em torno do preço do minério de ferro que irá vigorar este ano. Segundo a Cisa, a mineradora brasileira estaria disposta a aceitar um corte de 10%, mas as siderúrgicas chinesas querem uma redução maior, de 30% a 50%.

Na semana passada, a Vale revelou que, ao contrário do que acontece tradicionalmente, a empresa não será a primeira a fechar um porcentual de reajuste para o minério de ferro este ano.

 

Em teleconferência com analistas, o diretor executivo de Minerais Ferrosos da companhia, José Carlos Martins, afirmou que a Vale pretende aguardar a conclusão das negociações entre as mineradoras australianas e as siderúrgicas chinesas para decidir se acompanhará ou não o reajuste estipulado.

 

Em 2008, a Vale acertou em fevereiro um aumento de 65% a 71% para seus contratos. O porcentual não foi seguido pelas australianas, que continuaram negociando com as siderúrgicas chinesas e fecharam um reajuste ainda maior, na casa dos 100%, sob a alegação de que o frete entre as duas regiões é menor.
 

 

Agência Estado

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário