A Paraíba o tempo todo  |

Taxa extra na conta de luz sobe 52% e aumento ficará em quase R$ 10, decide Aneel

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Em reunião realizada nesta terça-feira (29), a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica elevou em 52% o valor adicional cobrado dos consumidores para arcar com os custos do parque de geração térmica e afastar o risco de um racionamento de energia no país. A bandeira vermelha 2, que sinaliza o patamar mais caro da energia, passará dos atuais R$ 6,24 por quilowatts-hora consumidos para R$ 9,49. Valor passa a vigorar em julho.

O reajuste é menor do que aquele sugerido pela área técnica da Aneel, mas bem superior aos 20% apontados como possíveis pelo diretor-geral da Aneel, André Pepitone, em audiência pública na Câmara sobre a crise hídrica. Na ocasião, Pepitone confirmou que o valor vigente é insuficiente para arcar com o peso da energia mais cara fornecida pelas termelétricas.

A taxa adicional cobrada nas contas de luz tem duas funções: pagar pelo acionamento das usinas térmicas (que funcionam em capacidade total desde maio para poupar água nos reservatórios de hidrelétricas em meio a escassez hídrica histórica registrada no país) e alertar o consumidor para a necessidade de economizar. Apesar desse papel, autoridades do setor negam a prática de um racionamento por preços.

Em pronunciamento na noite desta segunda-feira (28), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, pediu que a população participe do “esforço para garantir a segurança energética do país” por meio o uso consciente de água e energia, reduzindo a pressão sobre o sistema elétrico e o custo da geração. Em sua fala, Albuquerque citou a “natural preocupação de muitos brasileiros com a possibilidade de racionamento de energia”, mas não negou textualmente o risco. O ministro, entretanto, defendeu que o sistema está mais robusto graças à maior interligação entre as regiões e à menor dependência da geração hídrica promovidas nos últimos 20 anos.

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      23
      Compartilhe