Por pbagora.com.br

Queda na concessão de seguro-desemprego indica reativação da economia, segundo ministro

Ao anunciar a redução sucessiva no primeiro trimestre de 2009, fechado em março, da concessão do seguro-desemprego, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, disse hoje (9), em entrevista coletiva, que isso indica a retomada da atividade econômica.

Embora ainda não disponha dos números fechados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do mês de março, o ministro afirmou que tudo indica que o país está voltando a crescer, conforme ele já tinha previsto, o que será mostrado nos números do Caged, que vão sair provavelmente na próxima semana.

O seguro-desemprego contou em março com 585.255 requerimentos, contra 597.811 em fevereiro e 727.723 em janeiro. No mês passado o custo foi de R$ 1,452 bilhão, contra R$ 1,380 bilhão em fevereiro e R$ 1,513 bilhão em janeiro.

O número de concessões do mês passado também chegou a ser menor que o de março de 2008, quando houve 594 mil pedidos.

No primeiro trimestre deste ano, cresceu significativamente a quantidade de requerimentos para obtenção do Bolsa Qualificação, benefício negociado pelas centrais sindicais com as empresas que estão em dificuldades.

Com o Bolsa Qualificação, o trabalhador passa a receber de 1 a 1,5 salário mínimo e, embora fique afastado do trabalho, continua com o vínculo empregatício até a atividade da empresa se normalizar. Enquanto não está trabalhando, ele se inscreve em cursos de qualificação profissional, tendo a chance de melhorar seu perfil profissional.

Neste ano, os números do Bolsa Qualificação cresceram substancialmente em relação aos três primeiros meses do ano passado. Enquanto em janeiro de 2008 o número de requerimentos do benefício foi de apenas 687, em janeiro deste ano, subiu para 4.372.

Em fevereiro de 2008 foram 95 pedidos e em fevereiro passado, 3.093. Já em março de 2008, houve 136 requerimentos e, no mês passado, foram 1.851.


Agência Brasil

Deixe seu Comentário