Por pbagora.com.br

A própolis vermelha possui atividade antimicrobiana Projeto estimula apicultura sustentável e revitalização dos manguezais no litoral paraibanoProdução de própolis, geração de renda e recuperação dos manguezais são as propostas do projeto ‘Viva o Mangue Vivo’ que será lançado nesta quarta-feira, 27, no município de Baia da Traição. Desenvolvido pelo Senar/Faepa, em parceria com o Sebrae, o projeto será inicialmente aplicado em oito municípios do litoral paraibano fomentando a produção da própolis vermelha. O evento contará com a realização de um seminário e a apresentação de palestras que discutirão a viabilidade da atividade nas regiões.

“Integrando essas três iniciativas, trazendo a importância do meio-ambiente para o desenvolvimento local, o Sebrae e seus parceiros, através de um convênio firmado, vão realizar diversas ações”, comentou Fernando Ronaldo, gerente da Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia do Sebrae Paraíba.

Trazendo a atividade da apicultura para a faixa litorânea as cidades de Lucena, Rio Tinto, Mataraca, Mamanguape, Marcação, Bayeux, João Pessoa e Baia da Traição produzirão a própolis vermelha, produto com alto valor agregado, já que é utilizado em larga escala pela indústria farmacêutica, pois tem atividade antimicrobiana maior que a própolis misturada de outras plantas. O produto é coletado em mangues, de forma natural, o que sugere a implantação dos apiários nesses ambientes em que os produtores possuem suas propriedades próximas.

Dessa forma a atividade se torna um benefício de mão dupla, tanto incrementando e gerando renda para produtores rurais e suas famílias quanto para a manutenção dos mangues, já que é o espaço utilizado para a coleta da própolis vermelha. A atividade também conta com vários benefícios na aplicação já que exige pouca mão-de-obra, garantia de retorno econômico, e o que é melhor, não atrapalha outras atividades executadas na propriedade.

Para capacitar os produtores dentro da filosofia da conscientização ambiental e comprometidos com a preservação dos mangues, o projeto ‘Viva o Mangue Vivo’ promoverá uma série de capacitações com técnicos e consultores das instituições engajadas com a abordagem desde a exploração apícola básica até o processamento da própolis. Outras consultorias tratarão da exploração das vias de crédito bancários, programas do governo e oportunidade de negócios.

No Sertão e Curimataú- Devido às condições climáticas e da vegetação a apicultura na Paraíba vem sendo bem desenvolvida em municípios do Alto Sertão e Curimataú, através do projeto Apicultura Integrada e Sustentável (Apis), do Sebrae Paraíba. O projeto atinge a média de 23 toneladas produzidas ao ano, segundo dados de 2008. A atividade atrai produtores de mais de 22 cidades que hoje já se beneficiam com a comercialização do mel, dentro e fora do estado, injetando quase R$ 150 mil a cada ano na economia local.

O Apis está conseguindo atingir a meta de aumentar vendas, procura e mercado em mais de 20% ao ano. Em três anos de existência, o projeto cresceu de acordo com resultados sólidos através do aumento e ampliação do mercado, da diversidade dos produtos e principalmente com o fortalecimento do associativismo. "Os produtores precisavam desse impulso. A cada novo programa que iniciamos em Araruna ou qualquer outra cidade do Curimataú, aumenta a procura dos que querem aderir à apicultura", disse o gerente do Sebrae em Araruna, Diógenes Vasconcelos.

Programação-
8h30- Apresentação do programa
9h- Investimento, Rentabilidade apícola sustentável, oportunidade de negócios
9h40- A importância da apicultura para o homem e o meio ambiente
10h30- Produção de própolis vermelha: rentabilidade sustentável e oportunidades de negócios
11h35- Debates
13h- Certificação da produção de própolis
14h- Produção de mudas (melíferas)
15h30- Processamento da cera, própolis e pólen
16h- Visita a exposição de produtos, materiais e equipamentos

Assessoria

Deixe seu Comentário