Por pbagora.com.br

O plantio agroecológico é uma realidade para as famílias agricultoras do Cariri paraibano. Os produtores rurais de Monteiro, por exemplo, conseguem aumentar o valor do produto em até 30%. Essas inovações eficazes na economia local serão apresentadas durante a Semana dos Alimentos Orgânicos, realizada nas próximas quarta e quinta-feira, dias 27 e 28. A cidade adotou o projeto do Sebrae Produção Agroecológica Sustentável (Pais), lavouras em círculos, que atende 35 produtores rurais.

A cidade de Monteiro vem se despontando como um dos municípios que mais incentiva a agroecologia no Estado. Com a maior zona rural da Paraíba, o município possui agricultores inteligentes, que trocaram o uso do agrotóxico pelo cultivo orgânico. O sistema é a alternativa que vem gerando a segurança alimentar, os lucros e a educação para a consciência ecológica. Desde a semana passada, um grupo teatral de Monteiro está mobilizando as escolas e feiras livres com panfletos sobre agroecologia.

Os agricultores do Cariri estão à frente dos outros por já possuírem associações e cooperativas agroecológicas. Prova disso é a satisfação da agricultora Maria Verônica de Oliveira, do Sítio Timgui. Ela conseguiu ter lucro depois de três meses de produção orgânica, dobrando o faturamento de pouco mais de R$ 500,00 para R$ 1.200,00 com as hortaliças. "É bom plantar orgânicos. As hortaliças são maiores e mais vistosas. Aprendi a fabricar inseticidas com o uso de capim verde, cinzas de madeira e urtiga", citou.

Na Paraíba, o projeto foi instalado em 2006 e já conta com 90 famílias integradas em todo o Estado. "O orgânico trouxe a garantia da segurança alimentar. Mas a agroecologia gera renda devido ao excedente na produção agrícola, que aumenta sistematicamente. A produção sustentável também fixa o homem no campo e é ideal para pequenos produtores", explicou o gestor do Pais pelo Sebrae, João Bosco da Silva.

Renda – O engenheiro agrônomo e consultor do Pais, Newton de Novaes Filho, fez um levantamento no ano passado que foi animador para os monteirenses. Ele descobriu que 59% das 90 famílias integradas ao Pais obtiveram renda líquida de mais um salário mínimo com a produção de fevereiro e maio de 2008. Outros 10% desses agricultores conseguiram lucrar mais de R$ 1 mil e 5% têm rendimentos de até um salário mínimo.

As hortaliças mais cultivadas são coentro (com 26 famílias) e cebolinha (com 23 projetos). Um dos pontos que propiciou o destaque de Monteiro nesse segmento foram as feiras agroecológicas, que facilitaram o contato dos produtores com as informações e novas propostas de se trabalhar a agricultura familiar.

Parceiros – O estímulo ao consumo dos alimentos orgânicos e ações de esclarecimento sobre seus benefícios ambientais, sociais e nutricionais são os objetivos da 5ª edição da campanha incentivada pelos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Desenvolvimento Agrário (MDA) em parceria com as Projeto Dom Helder Câmara, o Sebrae e a prefeitura de Monteiro.

Programação

Dia 27
8h00 – Recepção dos produtores rurais, parceiros e comunidade;
Feira dos agroecológicos, defensivos naturais e biofertilizantes – Arraial Zé Marcolino
Trio de Forró;
9h30 – Abertura com autoridades no Teatro Municipal Jansen Filho;
10h00 – palestra “Mecanismo de controle de qualidade orgânica – Francisco Sucupira;
12h00 – almoço;
13h00 – Relatos de experiências agroecológicas;
Apresentação da Produção Agroecológica Integrada Sustentável (Pais);
Feiras Agroecológicas;
16h00 – encerramento.

Dia 28
8h00 – Mobilização e sensibilização nas escolas com um grupo de teatro local;
Distribuição de panfletos da agroecologia.

 

Assessoria

Deixe seu Comentário