Ferramenta gratuita é mais uma iniciativa da Prefeitura de apoio aos segmentos econômicos mais afetados pela pandemia

O prefeito Romero Rodrigues lançou, na manhã desta quarta-feira, 17, através de suas redes sociais, a plataforma digital Compra Solidária. A ferramenta foi desenvolvida pelo Procon de Campina Grande e já está disponibilizada gratuitamente aos pequenos e médios comerciantes, com acesso simples e ágil para as vendas online, viabilizando, inclusive, pagamentos através do aplicativo WhatsApp.

Segundo o prefeito, trata-se de mais uma iniciativa voltada a contemplar o setor comercial de condições objetivas, de enfrentamento da atual crise, contribuindo, assim, para reaquecer a economia local por meio de vendas online. O endereço do site é www.procon.campinagrande.pb.gov.br.

Conforme esclareceu Romero, micros e pequenos empreendedores foram diretamente afetados pela pandemia, devido a fatores como o isolamento social. Desta forma, muitos negócios foram obrigados a fechar as suas portas para o acesso do público e se adaptar ao comércio digital.

Neste contexto, a plataforma lançada nesta quarta faz justamente a conexão entre compradores e vendedores, mostrando, entre outras vantagens, comércios próximos para entregas locais.

Outra novidade é que o pagamento poderá ser feito por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. O serviço é prestado em parceria com instituições financeiras como o Banco do Brasil, Cielo, Nubank e Sicredi. O consumidor poderá fazer seus pedidos via telefone ou computador. Um cartilha explicativa será disponibilizada ao público até a próxima sexta.

Com o Compra Solidária, os lojistas irão cadastrar seus produtos com fotos, preços, taxa de entrega e poderão, sempre que quiser, permanecer online para receber seus pedidos. Para o cliente, a vantagem é poder fazer a compra através de uma plataforma de comércio eletrônico segura, atestada pelo Procon.

Como funciona o aplicativo – A ferramenta está disponível no portal do Procon Campina Grande: https:/procon.campinagrande.pb.gov.br. O interessado deve acessar e fazer o cadastro do seu negócio, aguardando, em seguida, a análise das informações cadastradas.

O cadastro do estabelecimento, em si, exige algumas informações referentes ao estabelecimento e ao seu representante, como CNPJ ou CPF, razão social, nome do representante, endereço , telefone e uma foto do estabelecimento. Todas as informações são obrigatórias, exceto o site. O cadastro exige uma senha, que servirá de acesso posterior aos seus dados para atualização ou fechamento temporário do estabelecimento.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Procon fecha estabelecimentos irregulares em JP

Em plena pandemia do Covid-19, o Procon de João Pessoa fechou três lojas que estavam abertas sem autorização, autuou seis e notificou 55 estabelecimentos irregulares, durante fiscalizações dos decretos municipal…