Por pbagora.com.br
Foto: Reprodução
 
 

Enquanto as precisões nacionais para a safra de milho de 2021 são de manutenção da safra anterior, os produtores paraibanos, não tem o que reclamar, pois o presidente da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer) , Nivaldo Magalhães, acrescenta que além das chuvas dentro do esperado pelos agricultores, a baixa incidência de pragas também deve garantir uma mesa farta de milho para os paraibanos, com cerca de 25% de aumento da safra.

Nacionalmente a produção brasileira de milho para a safra 2020/21 deverá manter-se próxima aos patamares da safra anterior. No entanto, os baixos volumes de estoque e a alta demanda dos mercados interno e externo podem influenciar os preços. Além disso, a pandemia do Covid-19 também impacta as commodities, principalmente em função das incertezas no mercado financeiro. Confira a seguir quais são as previsões para o preço do milho em 2021 no Brasil! https://blog.aegro.com.br/previsao-do-preco-do-milho-em-2021/

Paraíba – As chuvas chegaram com força no interior do estado nas últimas semanas, o que, naturalmente, é sinal de boa colheita para os agricultores. Nessa leva de bonança, Empaer estima que a safra do milho deve crescer quase 25% no período de 2020/2021 em relação a 2019/2020. Isso representa um aumento de 19 mil toneladas do grão, passando de 77 mil toneladas para 96 mil toneladas. “Acreditamos num incremento da produção porque houve também a distribuição de sementes pelo governo. Devido à normalidade do período chuvoso no Cariri, Agreste e Curimataú, é previsto um aumento da safra do milho”, comentou Nivaldo.

O período de colheita na região Nordeste, geralmente, se dá entre os meses de março e abril. A safra de 2020, contabilizada em 77 mil toneladas, já foi considerada uma das maiores dos últimos. anos, representando um crescimento aproximado de 20% em relação a 2019. Em junho do ano passado, mês em que se intensifica a procura pelo milho para comidas típicas das festas juninas, a mão de milho, referente a 52 espigas, apresentava uma variação de preço de 62%, sendo vendida entre R$ 25 e R$ 40 nos mercados públicos de João Pessoa, conforme pesquisa feita pelo Procon da capital. Ainda não foram feitas pesquisas do preço da mão de milho neste ano.

 

Redação