Por pbagora.com.br

A cidade de Campina Grande amanheceu nesta segunda-feira sem combustíveis. Ontem, domingo, só três postos de gasolina foram abastecidos e, neles, filas quilométricas se formaram e, como seria esperado, muitos condutores voltaram para casa sem conseguir encher o tanque. Já no início da manhã de hoje, mesmo sem gasolina ou qualquer previsão de chegada, muitas filas já se formaram na esperança de que algum combustível chegue à Rainha da Borborema.

 

Ontem, cada motorista podia abastecer apenas R$ 50 em caso de automóvel e R$ 20 para os condutores de motocicleta. Aqueles que portavam galões foram impedidos de comprar. No bairro do Catolé, o preço cobrado era de R$ 4,35. O posto mais próximo de Campina Grande com combustível à venda fica no Cajá.

 

As viaturas da Polícia Militar e do Samu foram abastecidas e têm plenas condições de funcionamento na Rainha da Borborema. Comércio e bancos também funcionam na cidade. Em Cabedelo, houve um protesto com bloqueio da rodovia BR 230 e os caminhões que tentaram furar o bloqueio tiveram pneus e mangueiras de combustíveis cortados. Já aqueles caminhões que deixavam o porto de Cabedelo para se dirigir aos postos, com a finalidade de abastecê-los, precisaram ser escoltados pela polícia.

 

Apesar de ter havido um acordo dos caminhoneiros com a Polícia Militar para dar cumprimento a uma liminar concedida pelo juiz Antonio Silveira Neto, há muitos caminhões tanques estacionados e alguns caminhoneiros disseram que a greve continua. Apesar disso, muitos postos de João Pessoa receberam combustíveis, mantiveram as filas, mas sobretudo na noite de ontem o acúmulo de veículos diminuiu e grande parte dos motoristas que esperava conseguiu encher o tanque.

 

Redação