A indústria paraibana registrou, em 2015, o maior crescimento do Nordeste e o terceiro do Brasil na quantidade de empresas ativas, de acordo com a Pesquisa Industrial Anual (PIA), divulgada nesta quarta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número de indústrias com cinco ou mais pessoas empregadas subiu de 1.858 para 1.937, entre 2014 e 2015. O crescimento relativo de 4,25% da Paraíba ficou acima das médias regional (-1,40%) e nacional (-3,21%).

Os setores industriais que apresentam a maior quantidade de empresas ativas na Paraíba são: produtos alimentícios (478 unidades), minerais não-metálicos (259), vestuário e acessórios (190), produtos de metal (131), móveis (102) e couro e calçados (101).

Conforme os dados da pesquisa do IBGE, entre os nove estados nordestinos, cinco apresentaram redução no número de indústrias ativas. Além da Paraíba, apenas Piauí (4,07%), Sergipe (2,66%) e Maranhão (0,65%) apresentaram expansão. O Ceará foi o estado com maior retração (6,75%). No âmbito nacional, a Paraíba ficou atrás apenas do Acre (6,16%) e Tocantins (5,83%). O Amapá foi o estado que apresentou o pior desempenho do País no período analisado (-8,33%).

Em relação ao total de receitas líquidas de vendas do setor industrial, a Paraíba somou um montante de R$ 10,59 bilhões em 2015, sendo o setor alimentício responsável por 22,26% desse valor. Embora seja apenas o sexto colocado em número de empresas ativas, o setor coureiro-calçadista aparece como o segundo lugar no quesito receitas líquidas, com 21,86% do total. Na sequência estão minerais não-metálicos (13,51%), têxtil (8,69%) e coque e derivados do petróleo (7,25%).

Número de unidades industriais com cinco ou mais pessoas empregadas

UF

Ano

 

2014

2015

Variação

Paraíba

1858

1937

4,25%

Piauí

1179

1227

4,07%

Sergipe

1091

1120

2,66%

Maranhão

1239

1247

0,65%

Rio Grande do Norte

1938

1937

-0,05%

Pernambuco

5807

5791

-0,28%

Bahia

5971

5902

-1,16%

Alagoas

901

864

-4,11%

Ceará

6013

5607

-6,75%

Fonte: IBGE

 

Secom

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“No período da pandemia, o turismo está reduzido a zero”, diz presidente da PBTur que prevê retomada lenta do setor

A divulgação dos principais roteiros turísticos do Destino Paraíba prossegue durante o isolamento social em todo Brasil. Desde a segunda quinzena de março deste ano, a Empresa Paraibana de Turismo…

PB perderá R$ 355 milhões devido à pandemia do Covid-19, diz secretário

Muito se fala do impacto econômico que a pandemia do novo coronavírus trará para o mundo, mas aqui na Paraíba onde mais nos atinge, qual será o impacto? Quem responde…