Por pbagora.com.br

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus em Campina Grande, e o surgimento de novos casos a cada dia, o Ministério Público da Paraíba (MPPB), Ministério Público Federal (MPF) e o Ministérios Público do Trabalho (MPT), recomendou nesta terça-feira (11, que o governo municipal não flexibilize as medidas de contenção da doença De acordo com a recomendação, a prefeitura não deve ter medidas menos restritivas que as estaduais para o distanciamento social, seguindo as normas da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde no combate ao novo coronavírus.

Conforme a recomendação, os órgãos municipais como o Procon, Vigilância Sanitária e Guarda Municipal devem intensificar a fiscalização do isolamento social no território municipal com o objetivo de minimizar os riscos de contágio e a sobrecarga do sistema de saúde. Além disso, o município também deve intensificar as ações de divulgação e conscientização sobre a necessidade de a população obedecer às medidas de isolamento social, em todos os bairros da cidade.

O Ministério Público também destacou que a flexibilização da permissão do funcionamento das atividades não essenciais em Campina Grande, nesse momento, implicaria em potencial massificação do contágio e sobrecarga do sistema municipal de saúde, com real possibilidade de ocorrência de danos irreparáveis e o colapso da rede. Conforme o MPPB, há uma limitação da capacidade hospitalar e a não existem dados seguros no sentido de que a rede de saúde esteja pronta para receber pacientes de Covid-19.

A recomendação aponta ainda, a dificuldade na aquisição de equipamentos de proteção individual.

Ontem o Procon notificou algumas lojas que comercializam tecidos e que abriram durante a pandemia, descumprindo as medidas de restrições ao Covid-19. Na manhã desta terça-feira, os fiscais do Procon visitaram a rua Campus Sales onde exigiam o fechamento dos estabelecimentos que não comercializam os produtos considerados necessários nesse tempo de pandemia.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

116 mil crianças da PB ainda não foram vacinadas contra a pólio

A Paraíba vacinou, até o momento, 117,4 mil crianças contra a poliomielite, o correspondente a 50,11% do público-alvo, que é de 234,2 mil crianças de 1 a menores de 5…

Acidentes de trânsito provocam quase 20% das entradas no Hospital Regional de Pato

O balanço de atendimentos do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) durante o fim de semana, entre as 18h da última sexta-feira (23) e as 6h da manhã dessa…