O banco Nossa Caixa fechou 2008 com lucro líquido de R$ 646,5 milhões, o que representa um crescimento de 113,3% perante o ano anterior. Além do aumento de 47,6% da carteira de crédito, a instituição também ativou créditos tributários da ordem de R$ 488,6 milhões que impactaram positivamente o resultado.

Os ativos totais da instituição atingiram R$ 54,3 bilhões em dezembro, montante 14,4% superior ao total registrado no final de 2007 e 1,6% acima da soma publicada para setembro. Os depósitos somaram R$ 37,2 bilhões ao final de 2008, com aumento de 15,1% em 12 meses e de 9,6% perante o terceiro trimestre do ano passado.

O patrimônio líquido do banco ficou praticamente estável na comparação com o terceiro trimestre, em R$ 3,18 bilhões. No confronto com 2007, entretanto, houve aumento de 15%. O retorno sobre patrimônio líquido passou de 11% em 2007 para 20,9% no ano passado.

Para Milton Santos, presidente da instituição, a gestão foi eficiente no sentido de ampliar participação no mercado de crédito enquanto a remuneração financeira da carteira de títulos recuou por conta da previsão de queda do juro básico. "Foi uma decisão acertada e correta ampliar presença nas carteiras de pessoa física e jurídica", avalia.

Depois de adquirir no mercado carteiras de crédito no valor de R$ 1,9 bilhões ao longo do ano passado, especialmente no trimestre final, a Nossa Caixa encerrou o exercício com um saldo de operações de crédito de R$ 12,9 bilhões, aumento de 47,6% em relação a 2007 e de 12,2% ante setembro, quando o saldo era de R$ 11,5 bilhões.

Houve expansão acima da média do Sistema Financeiro Nacional (SFN) em praticamente todos os segmentos de crédito, mas a carteira de pessoa física puxou o crescimento ao fechar dezembro em R$ 9,9 bilhões, um aumento de 49,7% em 12 meses. Na comparação com o fim do terceiro trimestre o aumento foi de 24,9%.

Destaque também para o consignado que, ampliou-se 73% no ano e 29,5% perante o terceiro trimestre, fechando 2008 em R$ 5,8 bilhões. Segundo Santos, outros R$ 3 bilhões em consignado devem ser agregados à carteira neste ano, com contratos de compra já firmados.

Já a carteira de pessoa jurídica não avançou tanto, devido ao aperto de liquidez financeira nos últimos três meses de 2008. Em dezembro, a Nossa Caixa tinha saldo de R$ 3 bilhões em empréstimos a pessoa jurídica, montante 40,9% maior do que o verificado em 2007, mas apenas 4,3% superior ao total de setembro de 2008.

"No último trimestre nós tomamos mais cuidado para não ampliar as operações sem ter garantias adequadas. Houve mais seletividade", explica o executivo.

As receitas do banco (incluindo operações de crédito, carteira de títulos e prestação de serviços) alcançaram R$ 9,1 bilhões em 2008, com aumento de 19,6% no ano. Já as despesas administrativas somaram R$ 2,5 bilhões, com alta de 4,5%. Já as despesas operacionais, que incluem provisões para contingências de ações cíveis avançaram 24,8%, para R$ 1,3 bilhão.

 

 

UOL

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário