Líderes europeus reunidos em Berlim, na Alemanha, chegaram a um acordo neste domingo para dobrar as contribuições para o Fundo Monetário Internacional (FMI), com o objetivo de ajudar nações fortemente atingidas pela crise financeira mundial, disseram autoridades alemãs. A chanceler alemã, Angela Merkel, recebeu hoje chefes de Estado e ministros das Finanças das maiores economias da Europa, para tentar estabelecer uma posição europeia única sobre reformas econômicas antes da cúpula do G-20, marcada para abril, em Londres.

Segundo os líderes europeus, o FMI precisa ser fortalecido para que possa "ajudar seus membros com agilidade e flexibilidade". Eles defenderam ainda novas e abrangentes regras para os mercados financeiros e fundos de hedge. "Nenhum mercado financeiro, nenhum produto do mercado financeiro, nenhum participante do mercado financeiro pode ficar sem regulação, sem supervisão", dizia um trecho do comunicado do encontro, segundo oficiais alemães.

O comunicado conjunto dos líderes presentes à reunião de Berlim não será divulgado hoje para permitir que os ausentes possam vê-lo primeiro, disseram os oficiais. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e líderes de nações industrializadas e grandes países emergentes como China, Brasil e Índia, são esperados na cúpula de Londres.


Agência Estado

Deixe seu Comentário