A produção da indústria no quarto trimestre de 2008 teve o pior resultado da série histórica da CNI (Confederação Nacional da Indústria), iniciada em 1999, informou hoje a entidade.
O indicador de produção ficou em 40,8 pontos (em uma escala que vai até 100, em que números abaixo de 50 indicam redução). No terceiro trimestre, o índice estava em 57,8 pontos e, no quarto trimestre de 2008, em 59 pontos.
O desempenho foi pior no caso das grandes empresas, que apresentaram 38,8 pontos. Médias tiveram 42 pontos e pequenas 42,3 pontos.
"Quando a crise é interna, geralmente atinge mais as pequenas empresas. Nesse caso, como a crise está vindo de fora, eles atingiram primeiro as grandes empresas", afirmou o economista da CNI, Renato Fonseca.
Segundo Fonseca, as pequenas e médias empresas deverão sofrer um maior impacto da crise já no primeiro trimestre deste ano. " As pequenas muitas vezes são fornecedoras das grandes e vão começar a sentir essa crise no primeiro trimestre", afirmou.

Emprego

O emprego industrial também apresentou queda no quarto trimestre. O índice ficou em 44 pontos, contra 54,4 pontos no terceiro trimestre de 2008. Na comparação com o último trimestre de 2007, o índice caiu 10,9 pontos.
A redução dos empregos foi maior nas grandes empresas (42,6 pontos), seguida por médias (43,8 pontos) e pequenas (46 pontos).
"A desaceleração era esperada, mas não com a velocidade que aconteceu. A crise chegou muito forte e a expectativa é que vá reduzir ainda mais o número de empregados", completa.

Estoques

Apesar da queda na produção, os estoques apresentaram crescimento. O nível de estoque no último trimestre foi de 53,5 pontos, contra 51,5 no trimestre anterior. No último trimestre de 2007, o índice era de 46,8 pontos.
A utilização da capacidade instalada das indústrias também recuou, ficando em 74%. O número é 4 pontos percentuais menor do que o registrado no trimestre anterior e 6 pontos percentuais menor do que o do último trimestre de 2007. A pesquisa foi feita de 5 a 26 de janeiro com 1.407 empresas.

Demanda

Os industriais brasileiros preveem um cenário de menor demanda e queda de emprego nos próximos seis meses, segundo a pesquisa CNI. O indicador de expectativa de demanda ficou em 39,7 pontos em janeiro. Em outubro, na última divulgação da pesquisa, o mesmo indicador estava em 49,8 pontos e, em janeiro de 2008, em 59,4 pontos.
A perspectiva é de redução também no número de empregos. O índice ficou em 40,5 pontos, contra 49,8 pontos em outubro e 53 pontos em janeiro do ano passado.
Os empresários estão pessimistas também em relação às exportações. O índice caiu de 48,4 pontos em outubro para 41,7 pontos em janeiro. Em janeiro do ano passado, o índice era de 48,5 pontos.

UOL

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário