A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) inverteu a tendência de queda registrada em dezembro e teve leve alta em janeiro, puxado pela alta nos preços dos produtos agrícolas no atacado. Segundo os dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira, 6, o IGP-DI subiu 0,01%, após cair 0,44% no mês anterior. Além, a alta dos alimentos também no varejo, além do aumento de custo em Transporte e Educação também contribuíram para o resultado.

 

Em janeiro, o custo dos produtos agrícolas no atacado registrou valorização de 2,07%, depois de ter caído 1,30% em dezembro. O número fez com que o Índice de Preços por Atacado (IPA) reduzisse a deflação de 0,88% apresentada em dezembro para queda de 0,33% em janeiro. Na quinta-feira, IBGE e Conab reduziram suas previsões para a safra agrícola nesta ano, citando efeitos climáticos.

 

 

Além disso, os preços de alimentos no varejo também subiram. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) – que representa 30% do índice -, teve alta maior no mês passado. O índice acelerou de 0,52% para 0,83%, puxado por elevações de preços mais intensas em três dos sete grupos que o compõem. É o caso de Alimentação (de 0,60% para 1%); Transportes (de 0,72% para 0,74%); e Educação, Leitura e Recreação (de 0,37% para 3,53%).

 

 

Essa última classe de despesa foi a maior contribuição para a taxa maior do índice do varejo, influenciada por aumento intenso de preços em cursos formais (de 0,00% para 6,14%). As outras classes de despesa apresentaram desaceleração de preços, ou até mesmo deflação. É o caso de Habitação (de 0,36% para 0,31%); Vestuário (de 0,52% para -0,19%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,71% para 0,45%) e Despesas Diversas (de 0,37% para 0,36%).

 

 

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,33%, frente ao ganho de 0,17% em dezembro.

 

Analistas já esperavam uma redução no ritmo de deflação do IGP-DI. De acordo com pesquisa da Reuters, a mediana de 15 projeções apontava para uma queda 0,10% do IGP-DI em janeiro. As estimativas oscilaram de baixa de 0,15% a alta de 0,09%.

 

 

Embora não seja mais usada para reajustar a tarifa de telefone, a taxa acumulada do IGP-DI ainda é usada como indexadora das dívidas dos estados com a União. Até janeiro, o índice acumula elevação de 8,05% em 12 meses. O período de coleta de preços para o IGP-DI anunciado hoje foi do dia 1º a 31 do mês passado.

 

estadao.com.br

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário