A Paraíba o tempo todo  |

Estado da Paraíba faz o dever de casa e comemora equilíbrio fiscal no 1º semestre de 2021

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Apesar do momento atípico de pandemia, com decretos e restrições no comércio e também na arrecadação, o estado da Paraíba conseguiu se ajustar ao novo normal e comemora seu equilíbrio fiscal neste primeiro semestre de 2021. A informação foi confirmada durante entrevista nesta quarta-feira (30) pelo secretário da Receita Estadual, Marialvo Laureano.


Segundo ele, por determinação do governador João Azevêdo (Cidadania) algumas concessões foram feitas durante o período, que foram essenciais para o equilíbrio das finanças. Ele estima que até outubro a economia volte a girar da forma que proporcione geração de emprego e renda para o Estado.


“As finanças continuam sim equilibradas. Até o dia 10 de julho a gente faz o balanço do primeiro semestre, mas continuam sim equilibradas, a economia de qualquer forma está funcionando, não como a gente queria, mas com o avanço da vacinação a gente espera que a economia volte a girar em um novo normal. Acredito que agora em julho essa vacinação terá um upgrade muito grande e acredito que até outubro a economia volte a gerar de uma forma que gere emprego e renda para o estado da Paraíba”, ressaltou.


Marialvo ainda fez questão de ressaltar que as medidas de postergação da arrecadação das empresas no Simples Nacional nos meses de abril, maio e junho, além da isenção do imposto para bares, restaurantes e lanchonetes, aliados à redução de 50% do valor do diesel nos transportes, partiram da sensibilidade do governador João Azevêdo, diante do atual momento de pandemia e, apesar do arrocho, foi possível pagar o salário do funcionalismo dentro do mês trabalhado, bem como a primeira parcela do 13º salário.


“Estamos equilibrados, já pagamos a folha do mês de junho, sempre dentro do mês, também demos 50% do 13º e mesmo com algumas concessões que fizemos no mês de abril, maio e junho sem a arrecadação da empresas do Simples Nacional, já que essa arrecadação foi postergada para acontecer nos próximos seis meses, ou seja, de julho a dezembro, além disso as empresas dos setores de restaurantes, lanchonetes, bares tiveram uma isenção nesses três meses e nós ainda estamos colaborando como setor de transporte, uma decisão do nosso governador para não prejudicar o cidadão nesse momento de pandemia com uma redução de 50% do valor do diesel, tanto para o transporte urbano quanto para o intermunicipal é muito importante”, emendou.

PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe