A Paraíba o tempo todo  |
PUBLICIDADE

Especialista fala dos impactos da pandemia de covid-19 na categoria MEI e dá dicas para os microempreendedores

De cada 100 microempreendedores individuais (MEIs), 82 tiveram queda no faturamento por conta da pandemia da Covid-19, aponta o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Para falar sobre esse impacto, foi escutado a especialista em Controladoria e Gestão de Tributos, Laura Mendes, que deu dicas para os microempreendedores paraibanos.

Segundo a pesquisa do Sebrae que pode ser vista no link ( https://www.agenciasebrae.com.br/asn/Estados/NA/Poder360%20-%20mei-pandemia-sebrae.pdf), para enfrentar as dificuldades, os MEIs procuraram financiamentos bancários e utilizaram a internet para viabilizar os negócios, aponta a Pesquisa de Impacto da Covid nos Pequenos Negócios. O Brasil possui 13,6 milhões de microempreendedores individuais. O estudo mostra que a vulnerabilidade do MEIs é maior do que a do empresário da micro e pequena empresa (MPE).

Nesta categoria empresarial, 74% enfrentaram redução no faturamento. Ainda sobre os MEIs, 8% alegaram manutenção do faturamento, 5% tiveram aumento e 5% não souberam responder. O impacto médio negativo no faturamento dos MEIs foi de 45%, enquanto para as MPE foi de 34%. A situação de crise levou o microempreendedor a buscar empréstimo. A estimativa é que 60% deles procuraram os bancos, mas, apenas 28% tiveram financiamento concedido.

Segundo Laura, como o MEI tem pouco capital, ele está mais exposto, é importante buscar orientação profissional. “Busque capacitação e orientação em gestão. O microempreendedor, muitas vezes, foca na venda e produção e não se dedica a gestão do negócio. É preciso colocar na sua rotina de trabalho a controles como fluxo de caixa, contas à pagar, contas à receber, vendas, separar as contas da pessoa física da pessoa jurídica, calcular o resultado da empresa (lucro/prejuízo) entender quais são os gastos fixos e os variáveis, fazer uma reserva de capital para passar por momentos como esse e manter o cadastro de clientes atualizados. Os MEIs que estiverem em segmentos que podem se adaptar a esse momento do mercado, mas que não tem cadastro de cliente por exemplo, terão maior dificuldade de vender durante o isolamento. Os que não tiverem uma reserva precisarão estudar a possibilidade de buscar crédito no mercado para sobreviver e se esforçarem pós isolamento para cumprir com o pagamento. Quanto mais informações sobre o seu negócio você tiver, maior será a sua segurança e assertividade na hora de tomar uma decisão”, disse Laura.

Da Redação

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe