A Paraíba o tempo todo  |

Especialista comemora nível de ocupação dos hotéis paraibanos para o período junino

Em entrevista à imprensa paraibana a presidente da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), Ruth Avelino, se mostrou bastante satisfeita com o nível de ocupação dos hotéis paraibanos para o período junino, faltando menos de um mês para o início das festas, em diversas cidades no estado. Segundo ela, Campina Grande, que é o principal destino turístico do período, já tem uma ocupação hoteleira em torno de 85% para o próximo mês.

Para Ruth, os festejos de São João vão impulsionar a economia de diversos municípios por todo o estado. “Além de Campina, a cadeia produtiva do turismo também vai beneficiar as cidades do entorno de polos do Brejo, Cariri e Sertão. Com a retomada das festas juninas, as agências de turismo e as de receptivo já estão fechando negócios”, disse a presidente da PBtur, destacando ainda que a promoção dos destinos turísticos vem ocorrendo desde fevereiro, com as operadoras de turismo e agências de viagens.

“Nosso carro-chefe para o São João é Campina Grande, que está no calendário internacional da Embratur, mas estamos divulgando outros destinos, a exemplo de Bananeiras, Patos, Monteiro e Santa Luzia. Até mesmo João Pessoa se beneficia, já que muitos turistas se hospedam na Capital e fazem os passeios para os destinos juninos. A taxa de ocupação para junho já está em 60%, na Capital”, afirmou Ruth, elencando ainda que a ocupação média da rede hoteleira de Campina Grande está na faixa dos 85%. Contudo, no final de semana de São João, não há mais vagas. “A festa promove a geração de emprego e renda para as cidades vizinhas também, como Lagoa Seca e Queimadas. O mesmo ocorre no Brejo, com Bananeiras, Solânea e até mesmo Guarabira”.

Outro ponto que Ruth Avelino destaca são as hospedagens alternativas, por meio dos aplicativos, que também impulsionam a economia das cidades. “Para estes destinos, o período de São João é a alta estação deles. Assim como é o verão para João Pessoa. Nesta época, os preços estão um pouco majorados, sobretudo, neste contexto após fase crítica da pandemia da Covid-19, que prejudicou muito o setor turístico”, finalizou.

Da Redação

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      8
      Compartilhe