Por pbagora.com.br

Com a falta de combustíveis nos aeroportos por conta da greve dos caminhoneiros, as companhias aéreas tiveram de cancelar voos e estão remarcando passagens sem custo para o cliente.

Até as 10h40 desta sexta-feira (25) apenas a Azul tinha cancelado 21 voos. A empresa também suspendeu o serviço de ônibus gratuito de ida e volta para o aeroporto de Viracopos, em Campinas, São Paulo. Também há registros de voos cancelados pela Gol e pela Latam.

 

Segundo a Infraero, nos 59 aeroportos com voos regulares administrados pela estatal, 2,5% dos 592 voos programados foram cancelados e 7,1% estão atrasados às 12h. A situação desses voos pode ser consultada no site da Infraero. O levantamento não engloba os aeroportos concedidos à iniciativa privada.

No aeroporto de Brasília, o estoque de combustível já se esgotou e todos os voos que pousarem no local e precisarem abastecer ficarão em solo, por ora. O Aeroporto de Recife também está sem combustível. (Veja a situação de outros aeroportos mais abaixo)

A recomendação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é que de os passageiros com voos marcados para os próximos dias consultem as empresas aéreas antes de se deslocarem para os aeroportos.

Veja a situação em cada uma das companhias:

 

Azul

 

A Azul está comunicando os voos com problema em uma página de seu site oficial e vai remarcar ou cancelar gratuitamente passagens para voar até 31 de maio para os clientes afetados pela greve.

"Informamos que estamos acompanhando e já estamos sabendo as últimas notícias sobre a greve dos caminhoneiros, Ainda assim, tivemos que realizar alguns cancelamentos em nossas operações", diz nota da companhia.

 

Gol

 

 a Gol teve de cancelar dois voos até agora (G3 1718 de Brasília a Teresina, e G3 1723, de Teresina a Brasília) "em razão da restrição no abastecimento de combustível em alguns aeroportos do país".

Os passageiros que tiverem voos cancelados poderão remarcar suas viagens gratuitamente ou pedir o reembolso das passagens.

 

Latam

 

Em comunicado, a Latam informou que cancelou 10 voos e que, "devido às restrições de abastecimento de combustível provocadas pela greve dos caminhoneiros, avalia com atenção os possíveis impactos desta contingência nos aeroportos e em sua operação aérea".

A companhia está remarcando gratuitamente os voos que partem, chegam ou fazem conexão nos aeroportos de Brasília, Confins, Goiânia, Maceió e Uberlândia nesta sexta. Os clientes podem consultar o status de seu voo no site da empresa.

 

Avianca

 

A Avianca Brasil informou que "permanece avaliando de perto a situação relacionada ao abastecimento de combustível em cada um dos aeroportos em que atua e se mantém sem cancelamentos ou atrasos decorrentes deste cenário, até o momento".

A empresa recomenda aos consumidores que acompanhem a situação dos voos em seu site e diz que, caso haja alterações nas viagens, as passagens serão remarcadas sem custo para novos voos até o dia 5 de junho.

 

Situação de aeroportos

 

Até as 12h, a piores situações eram encontradas nos aeroportos de Brasília e do Recife. Veja a situação nos principais aeroportos do país.

Aeroporto de Brasília – As reservas de combustível estão esgotadas. Os aviões que pousarem no terminal aéreo e que necessitarem de abastecimento ficarão em solo até o fornecimento de combustível no aeroporto ser normalizado.

Aeroporto Internacional do Recife – Não há combustível. Um informe da administração do aeroporto às 11h18 aponta que o abastecimento está indisponível.

Aeroporto de Guarulhos (São Paulo) – O aeroportos opera normalmente. De acordo com a administração, a capacidade de armazenamento de combustível é muito grande.

Aeroporto Internacional de Fortaleza – Está operando com os níveis de reserva de combustível. A administração afirma que é possível que haja impactos na operação a partir da noite desta sexta. "Ainda não temos previsão de quantos voos poderão ser impactados."

Aeroporto Internacional de Porto Alegre – No site, a administração informa que, devido à greve dos caminhoneiros no Brasil, o aeroporto está operando com os níveis de reserva de combustível, sendo possível haver impactos nas operações das empresas aéreas. "Solicitamos gentilmente que os passageiros entrem em contato com a companhia aérea com antecedência para confirmar o status de seu voo."

Aeroporto Internacional de Salvador – Não teve impacto. Tem voo, que são chamados de alternados (que são aqueles que fazem escalas não previstas) que estão pousando em Salvador para abastecer. Ainda tem reserva, então nenhum voo foi afetado. Não tem a informação de quantos voos receberam.

Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Belo Horizonte/Confins) –O aeroporto registra quatro voos cancelados. A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de BH, informa a recomendação para que os passageiros entrem em contato com as companhias aéreas e consultem a situação dos voos antes mesmo do deslocamento até o aeroporto.

Aeroporto de Florianópolis – Opera sem restrições. A perspectiva da administração é que a situação siga normal durante esta sexta, as pode se agravar a partir do sábado. "A partir de sábado, os voos poderão ser impactados pelo desabastecimento de combustíveis."

Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão – A operação está normal. O abastecimento é feito por dutos terrestres, então não houve impacto.

Aeroporto Internacional de Viracopos/Campinas – Segundo a administração, Viracopos não tem problema. As aeronaves estão abastecendo e há previsão de receberem combustível ao longo da tarde. De acordo com a administração, houve voos cancelados, mas não por falta de combustível e, sim, porque alguns aeroportos não estão recebendo voos de aeronaves que chegarem sem combustível, como no caso de Brasília.

 

A greve

 

Os caminhoneiros entraram no quinto dia de paralisação em protesto contra a alta do preço dos combustíveis, mesmo após acordo anunciado pelo governo para suspender o movimento por 15 dias.

O governo se comprometeu a transferir R$ 4,9 bilhões para a Petrobras para que a petroleira mantenha a redução de 10% no preço do diesel nas refinarias e a Câmara aprovou a eliminação da cobrança do PIS-Cofins sobre o combustível até o fim do ano, uma isenção fiscal de R$ 13,5 bilhões.

Foram prometidas ainda negociações com os estados para que baixem a cobrança do ICMS sobre o diesel. As fontes de recursos para bancar esses subsídios não foram informadas.

Com as rodovias bloqueadas por conta da greve há desabastecimento de produtos e até as exportações já foram prejudicadas.

 

Contatos das companhias aéreas

  • Latam: 4002-5700 e 0300 570 5700 (www.latam.com)
  • Gol: 0300 115 2121 e 0800 704 0465 (www.voegol.com.br)
  • Azul: 4003-1118 e 0800 887 1118 (www.voeazul.com.br)
  • Avianca: 4004-4040 e 0800-286-6543 (www.avianca.com.br)

G1

Foto: Bento Viana/Inframérica

Notícias relacionadas

Confira as 175 vagas de trabalho abertas hoje na capital

A partir de hoje (17), 175 oportunidades de trabalho estão abertas em João Pessoa. De acordo com o Sistema Nacional de Emprego (Sine), as vagas são válidas até a sexta-feira…

Sine de João Pessoa suspende atendimento ao público nesta segunda-feira

Devido a necessidade de realização de reparos na estrutura do teto do prédio, o Sistema Nacional de Emprego de João Pessoa (Sine-JP) suspendeu o atendimento ao público nesta segunda-feira (17).…