Após registrar em dezembro o menor nível desde 2002, a taxa de desemprego no país registrou forte alta em janeiro, para 8,2%, a maior desde abril do ano passado, refletindo a piora na situação econômica mundial. Em dezembro, a taxa havia ficado em 6,8%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

A taxa de janeiro é similar à do mesmo mês do ano passado, quando ficou em 8,0%. A população desocupada cresceu 20,6% em frente a dezembro, para 1,9 milhão de pessoas.

 

Em janeiro, a população ocupada nas seis regiões pesquisadas reduziu-se em 1,6% em relação ao mês anterior, para 21,2 milhões de pessoas. Frente a janeiro de 2007, no entanto, a população ocupada representa uma alta de 1,9%, ou cerca de 385 mil postos de trabalho.

 

O número de empregados com carteira assinada no setor privado ficou menor no mês – 1,3% na comparação com dezembro, para 44,9% da população ativa. O desemprego também atingiu os empregados sem carteira assinada: na passagem de dezembro para janeiro, esse contingente teve uma queda de 4,5%.

 

Rendimento

Mesmo com menos vagas, o rendimento m médio real habitual dos trabalhadores subiu 2,2% no mês, para R$ 1.318,70 – uma alta de 5,9% frente a janeiro de 2008. Alta também no rendimento médio real domiciliar per capita, de 1,7% no mês e 6,4% no ano, para R$ 840,62.

 

Já a massa de rendimento real efetivo dos ocupados de dezembro de 20081 (R$ 35 bilhões) mostrou variação de 17,6% no mês e 7,1% na comparação com dezembro de 2007.

 

G1

 

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário