Por pbagora.com.br

Em recente artigo publicado o professor José Austerliano Rodrigues, especialista Sênior em Sustentabilidade de Marketing e Doutor em Marketing Sustentável pela UFRJ, com ênfase em Sustentabilidade e Marketing, comentou sobre o cenário de mudanças que criou um conjunto de paradoxos para os profissionais de marketing sustentável enfrentarem, sendo um deles a interação on-line versus a interação off-line (Marketing 4.0), num varejo sem loja no Brasil, devido a pandemia causada pelo novo coronavírus.

Segundo ele, ambas (lojas físicas e online) devem continuar existindo, mas tendo essa segunda opção uma ampliação. “Ambas devem coexistir e ser complementares, com o objetivo comum de fornecer uma experiência superior ao consumidor. Além disso, existe o paradoxo do consumidor informado versus o consumidor distraído. Mesmo com a conectividade munindo os consumidores com informações abundantes, eles também se tornam dependentes demais das opiniões dos outros (círculo social), que muitas vezes se sobrepõem às preferências pessoais. As mudanças e tendências estão aí. Uma nova espécie de consumidor digital, aquela que será a maioria no futuro próximo, está emergindo globalmente – jovem, urbana, de classe média, com mobilidade e conectividade fortes. Embora a maioria das mercadorias e dos serviços seja vendida em lojas, mais conhecido como loja de departamentos, o varejo sem loja tem crescido muito mais rapidamente do que as lojas de varejo, principalmente em razão do e-commerce (venda pela internet) e do m-commerce (venda via celulares e tablets)”, disse o especialista.

Portanto segundo o professor, as empresas brasileiras precisam entender que mais pontos de contato e volume mais alto nas mensagens não se traduzem necessariamente em maior influência. É preciso se destacar da multidão e conectar-se de forma significativa com os consumidores em apenas alguns poucos pontos de contato cruciais (cultural, social e pessoal). Além disso, converter novos consumidores digitais em defensores fiéis envolve uma série de atividades de engajamento do consumidor na era da Revolução Digital.

Redação

Deixe seu Comentário