Por pbagora.com.br

Nas lojas do Distrito Federal, o movimento na véspera do domingo de Páscoa foi intenso. “Tudo leva a crer em um crescimento de 20% a 25% em relação ao mesmo período do ano passado”, calcula o gerente José Erivaldo Moreira de Souza, que trabalha em uma das maiores lojas do ramo em Brasília. Ele afirma que “a crise financeira passou longe dos chocolates”.

Segundo José Erivaldo, as vendas estão fortes desde a última quinta-feira (9), quando muita gente antecipou as compras para poder viajar no feriadão, com os ovos de Páscoa garantidos para toda a família.

Mas, como muita gente deixa para comprar na última hora, segundo ele, “o movimento de vendas neste sábado está muito bom, e amanhã (10) vamos abrir também, até as 14h. Tanto nós quanto os vizinhos que trabalham nesse comércio”. Ele garante “que não vai faltar ovo de Páscoa pra ninguém”, completa.

A loja, na parte inferior do Centro Comercial Conic, área central de Brasília, tem cinco lojas vizinhas no mesmo ramo de doces, e em todas existe a mesma percepção de crescimento das vendas, segundo José Erivaldo. Isso, apesar da expansão média de 15% nos preços do produto, comparado à Páscoa de 2007.

O movimento era intenso nos estabelecimentos visitadas pela Agência Brasil, com os compradores reclamando apenas dos preços, como a dona Maria Laura Coimbra, que deixava uma loja no Setor Comercial Sul, com 17 ovos na sacola. Ela disse que “se os preços não fossem tão altos até poderia comprar mais para presentear também algumas amigas. Mas, como o dinheiro está curto, só os filhos e netos vão ganhar desta vez”.

Agência Brasil

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.