O governo deve anunciar ainda breve medidas para mitigar os efeitos da crise do coronavírus sobre o setor de bares, restaurantes e hotéis. Entre as ações previstas, está a possibilidade de postergar o pagamento de impostos federais.  A informação sobre o socorro federal foi dada pelo presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci Jr., que se reuniu com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente Jair Bolsonaro. O representante também falou em nome do setor hoteleiro.

Segundo o Chef Walter Ullisses, essas medidas podem ajudar a amenizar os prejuízos da chegada do Covid-19 no Brasil, mas os próprios consumidores e donos de restaurantes, tem que fazer sua parte.“É uma realidade que já percebo em nosso Estado. Pelos próximos 120 dias muitos vão ter que se reinventar e refazer seus projetos para sobreviver a esse tsunami inesperado. Ando vendo uma preocupação de pessoas que têm negócios na área com relação ao coronavírus e toda essa situação que estamos enfrentando atualmente. Isso vai afastar pessoas dos seus estabelecimentos. Isso é fato. Pessoas saindo o mínimo possível de casa, a desinformação, as primeiras pessoas infectadas e mortas. Isso gera um medo tanto no empresário, microempreendedor, quanto no cliente. São muitas informações sem respostas do que vai acontecer”, disse.

‘Se você está tenso essa situação é apenas mais um no meio do oceano no mundo dos alimentos. Vou dar algumas dicas: Se seu negócio vai continuar funcionando tente reduzir custos para não fechar vermelho no final do mês. Fazer um esforço de usar menos água, energia elétrica, fazer compras a fornecedores evitará saídas desnecessárias. Faça ofertas promocionais com vale-compras, que as pessoas posam usar quando puder. Assim elas podem usá-los quando a situação se normalizar e você consegue fazer dinheiro entrar neste momento, mesmo sem vender seu produto”, comentou o Chef.

Além disso Walter Ullisses indaga ao consumidor a procurar formas de seu produto estar nas plataformas de venda e não afundar neste momento, principalmente se você não faz, como iFood, instagram, site, delivery e outras formas viáveis de negócios. “Esses são fatores de negócios para você permanecer imune a essa doença. Essas são algumas dicas, mas você terá que colocar em prática agora”, disse.

Também tem uma coisa muito importante que você precisa saber alega o chef:

Não subestime seu capital de giro. Para quem empreende é muito importante sempre ter uma reserva de emergência, tanto na conta pessoal, como na conta empresarial. Até porque não sabemos quando uma crise vai surgir e o dinheiro parar de entrar, afinal organização financeira pode poupar algumas dores de cabeça. Um mês difícil sem controle financeiro pode quebrar literalmente um negócio que você lutou anos para mantê-lo de pé.

Você leitor deixo dicas:

Peça comidas com a marca de sua terra, valorize o que é nosso, compre de sua maneira, seja telefonando ou pelo iFood… mas não deixe de valorizar a prata da nossa casa. Grandes marcas de franquias sobrevivem. Ajudem empresas que realmente precisam para existirem. Não esqueça do pequeno da lanchonete, ajude os independentes e mantenha a nossa economia girando, sem necessário que o barco afunde. Somos todos Paraíba.

Redação

 

 

Deixe seu Comentário