Na última quarta-feira (4), a CUT se reuniu para avaliar o pacote de proteção lançado pelo governo do estado e embora seus representantes tenham achado uma ação bastante positiva por parte do governo, eles acreditam que foi falho no sentido de não ter garantias nenhuma para o trabalhador.

 

O presidente da CUT, Luis Silva, disse que as medidas adotadas são muito importantes e que eles acreditam na sensibilidade dos empresários na garantia dos empregos, mas que é necessário uma maior segurança. “Precisamos garantir ao nosso trabalhador estabilidade. Para isso é necessário que esse pacote exija dos empresários essa garantia”, diz.

 

Na próxima segunda-feira (9), às 9h, representantes da CUT, empresários e representantes do governo do estado, vão se reunir na DRT para discutir soluções que assegurem o trabalhador, formando um pacto social para que a crise não gere um maior impacto.

 

“Nossa intenção é criar uma mesa permanente de negociação para que não somente agora, mas ao longo do tempo, possa se avaliar e encontrar novas medidas que garantam a estabilidade não só dos trabalhadores, mas também dos empresários”, afirma Luis Silva.

 

Milena Feitosa
PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, ficou em 0,22% em fevereiro deste ano. Essa é a menor taxa para…

Caixa anuncia financiamento imobiliário com juros fixos

A Caixa Econômica Federal anunciou hoje (20) o lançamento de uma nova linha de crédito habitacional com taxa fixa. As contratações podem ser feitas a partir de amanhã (21) com…