Por pbagora.com.br

Na última quarta-feira (4), a CUT se reuniu para avaliar o pacote de proteção lançado pelo governo do estado e embora seus representantes tenham achado uma ação bastante positiva por parte do governo, eles acreditam que foi falho no sentido de não ter garantias nenhuma para o trabalhador.

 

O presidente da CUT, Luis Silva, disse que as medidas adotadas são muito importantes e que eles acreditam na sensibilidade dos empresários na garantia dos empregos, mas que é necessário uma maior segurança. “Precisamos garantir ao nosso trabalhador estabilidade. Para isso é necessário que esse pacote exija dos empresários essa garantia”, diz.

 

Na próxima segunda-feira (9), às 9h, representantes da CUT, empresários e representantes do governo do estado, vão se reunir na DRT para discutir soluções que assegurem o trabalhador, formando um pacto social para que a crise não gere um maior impacto.

 

“Nossa intenção é criar uma mesa permanente de negociação para que não somente agora, mas ao longo do tempo, possa se avaliar e encontrar novas medidas que garantam a estabilidade não só dos trabalhadores, mas também dos empresários”, afirma Luis Silva.

 

Milena Feitosa
PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Pagamento de 2ª parcela do Auxílio Emergencial de R$ 300 começa hoje

Começa hoje (30), o pagamento da segunda parcela de R$ 300 para beneficiários do Auxílio Emergencial que não fazem parte do Bolsa Família. Ainda nesta sexta, a Caixa Econômica Federal…

Educação financeira para crianças: especialistas explicam como abordar o tema

Muitas famílias pensam que dinheiro não é assunto para os pequenos. Só que, se a gente pensar que as finanças vão fazer parte da vida adulta, é fundamental ensinar noções…