A Paraíba o tempo todo  |

Caderneta de poupança cresce na pandemia; economista explica se isso faz sentido

Não há dúvida de que a caderneta de poupança é o investimento mais popular do Brasil, mesmo que hoje seu retorno não consiga ser tão interessante a ponto de colocá-la como um investimento de verdade, alias ela completou neste ano 160 anos de existência. Segundo as novas regras criadas em 2012, a caderneta de poupança passou a render o equivalente a 70% da Taxa Selic, que baixou recentemente para 3% ao ano. Assim, a rentabilidade da poupança atualmente é de 2,1% ao ano. Para falar sobre esse tema a economista Débora Alcântara, avalia que o sucesso da poupança se deve a três razões principais: baixo fator de risco, facilidade de aplicação e taxas de liquidez diárias.

“A poupança é o investimento mais conservador e tradicional que existe. Normalmente, pessoas que não têm muito conhecimento sobre produtos financeiros ainda preferem essa modalidade, mas isso vem mudando. Além da poupança, nós temos o Certificado de Depósito Bancário (CDB) e as Letras de Crédito (do mercado imobiliário ou agronegócio, por exemplo)”, disse Débora, destacando que outras possibilidades são investimentos no Tesouro Direto e nos chamados Debêntures, títulos de crédito que fixam a remuneração do investidor através de juros pré-estabelecidos. Para ela, basta que a pessoa conheça bem seu estilo e seja bem aconselhada para que os investimentos surtam efeitos positivos.

Caderneta de poupança cresce na pandemia
Em abril de 2020, a caderneta de poupança recebeu milhares de novos aplicadores e recursos. Os brasileiros depositaram nada menos que R$ 215,36 bilhões na poupança, sacando R$ 184,9 bilhões. A captação líquida, diferença entre o dinheiro novo que chegou e o que foi resgatado, foi de R$ 30,46 bilhões – a maior desde 1995.

Considere que durante todo o ano de 2019, a poupança angariou R$ 13,33 bilhões. Só em abril de 2020, captou mais de duas vezes o total do ano de 2019. O total aplicado na poupança por todos os brasileiros alcançou R$ 881,66 bilhões, um recorde. Dados como estes são sempre divulgados pelo Banco Central, mas o que será que podemos aprender com eles?

Caderneta de poupança ficou mais interessante que outras aplicações?
Uma coisa interessante aconteceu em março de 2020: a poupança teve ganho real (acima da inflação), algo que não acontecia desde novembro de 2019. A rentabilidade foi de 0,21%, enquanto o IPCA (medido pelo IBGE) ficou em 0,07%. Nos últimos 12 meses, no entanto, o IPCA está em 3,30%, bem acima dos 2,1% de retorno anual da poupança.

Em meio a um cenário de altíssima volatilidade na renda variável, com o mercado de ações reagindo de forma muito tensa a toda e qualquer novidade em relação à pandemia e nossa situação política (sempre um capítulo à parte), muitos investidores acabaram rebalanceando suas carteiras e procurando algo mais seguro e previsível.

Some a isso mais dois fatores: 1) muitos fundos de renda fixa ofereceram rentabilidade negativa em março e abril por conta da marcação a mercado dos títulos públicos; e 2) vários fundos de crédito privado (debêntures) também tiveram retorno negativo em março.

Redação

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      5
      Compartilhe