É com o amor que os frequentadores têm pela escola que a Unidos de Vila Isabel quer pisar na avenida e conquistar o título de 2009. Para isso, a agremiação resolveu apostar todas as fichas na força da comunidade. Ou seja, sem nenhuma ala comercial, a Vila vai doar todas as fantasias para o desfile.

 

 

Parodiando a música de Noel Rosa, que diz que “a Vila não quer abafar ninguém, só quer mostrar que faz samba também”, o diretor de carnaval Ricardo Fernandes diz que a escola quer mostrar muito mais na avenida.

 

 

Ao todo serão distribuídas 3.400 fantasias de alas e 1.200 composições de carros alegóricos. A escola só não vai arcar com os custos das fantasias do corpo de destaques, normalmente confeccionadas e pagas por eles mesmos.

 

O diretor de carnaval, Ricardo Fernandes, não fala em cifras. Mas garante que o investimento é alto. Segundo ele, trata-se de um fato inédito entre escolas do Grupo Especial do Rio e acredita que a aposta vai dar certo, porque tudo foi planejado com quase um ano de antecedência. Ele afirma que, enquanto as concorrentes descansavam, o presidente da Vila, Wilson Vieira Alves, o Moisés, traçava as metas para 2009.

 

“Nosso planejamento começou logo após o resultado do desfile do ano passado. Logo depois da escolha do enredo, em março, já começamos a comprar algum material. Por isso, quando a crise financeira atingiu as escolas, já estávamos com nosso carnaval adiantado”, diz Fernandes, lembrando que em 2008 a Vila desfilou com dez alas comerciais.

 

 

Comunidade fez inscrição para ganhar fantasia
Em junho, os interessados em desfilar pela Vila Isabel, fizeram inscrição no cadastro, apresentando dados pessoais e comprovante de residência. Depois da escolha do samba-enredo, todos passaram a responder a uma chamada nos ensaios. Quem faltou a três ensaios, foi cortado da lista.

 

 

“Queremos pessoas que tenham um vínculo de amor com a Vila. São pessoas que vão aos ensaios, que cantam, que participam. Nos ensaios pudemos perceber que o canto que está mais uniforme. Não teremos turistas ou gente que não sabe cantar o samba na avenida, como acontece nas alas comerciais. Nem sempre quem compra uma fantasia está comprometido com a escola”, destaca Fernandes.

 

 

Carnaval grandioso
O diretor afirma que a Vila, que apresentará enredo sobre o Theatro Municipal, vai fazer um carnaval grandioso. Tanto que a escola teve de alugar um galpão ao lado da Cidade do Samba, na Gamboa, na Zona Portuária, para poder acomodar duas de suas oito alegorias.

 

Fernandes garante que a Vila não recebeu qualquer patrocínio e que produziu todo o carnaval de 2009 com a subvenção que a prefeitura repassa para todas as escolas.

 

 

Ele nega que a escola ainda desfrute da verba do patrocínio da PDVSA – a estatal do petróleo venezuelana, que em 2006 financiou o carnaval vitorioso da escola.

 

“Quem fala uma coisa dessas é louco. Não recebemos todos esses milhões de dólares que dizem por aí. O patrocínio da PDVSA foi só para o desfile de 2006. Também não estamos bancando carnaval com a renda dos shows da quadra, porque isso não daria para fazer nem uma alegoria. Nosso carnaval é fruto de boa administração e planejamento. Nada mais”, garante o diretor de carnaval.

 

globo.com

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Val Donato e Sandra Belê fazem apresentação única no “Natal na Usina”

A Sala Vladimir Carvalho vai receber nesta sexta-feira, 13, duas cantoras consagradas do cenário musical paraibano. Val Donato e Sandra Belê farão uma apresentação única na 6ª edição do “Natal…