Por pbagora.com.br

O corpo do ator Gilberto Fernandes, que morreu na sexta-feira, em São Paulo, foi enterrado na manhã deste sábado (17) em Registro, no interior do estado.

Segundo a viúva do ator, Laudi Fernandes, o sepultamento aconteceu às 8h30. Ela agradeceu o carinho do empresário Silvio Santos e dos comediantes Renato Aragão e Ary Toledo.

“Eles mandaram coroas de flores e mostraram muito carinho por ele”, disse Lauri. Conforme ela, um grande número pessoas compareceu ao enterro. “Foram todas as pessoas que gostavam dele”, afirmou.

Mais conhecido como Gibe, ele estava com 75 anos e ficou famoso na década de 1980 com o personagem Papai Papudo, que participava do programa “Bozo”, exibido no SBT. Papai Papudo repetia o bordão “5 e 60”, criação de Gibe, quando o Bozo lhe perguntava as horas.

O humorista estava internado no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas desde o dia 1º, quando deu entrada com um quadro de estenose (estreitamento) de válvula.

De acordo com a assessoria de imprensa da instituição, Gibe passou por uma cirurgia no dia 7 e continuava internado até esta sexta-feira, quando não resistiu e faleceu.

 

O corpo do redator foi velado no Cemitério do Araçá, em São Paulo, até as 18h de sexta, e depois seguiu para Registro, onde foi enterrado ao lado da mãe.

‘Topa tudo por dinheiro’ e ‘Turma do Didi’

Gibe nasceu em 10 de janeiro de 1935 em São Paulo, começou a carreira artística no circo, trabalhou no teatro e nas chanchadas do cinema.

“Foi a pessoa mais brincalhona que já conheci. Se a gente estava triste, ele jogava o chapéu no chão e dava um chute nele na hora de pegá-lo”, lembrou Wanderley Tribec, o Wandeko Pipoka, que interpretava o palhaço Bozo no início do programa ao lado de Gibe.

“O Gibe é o último da família a ir embora. Ele foi o meu professor na TV, tudo o que aprendi devo a ele”, completou.

Além do “Bozo”, ele também trabalhou como redator e ator do quadro Câmera Escondida, do programa “Topa tudo por dinheiro”, também do SBT, onde ficou até 2002.

“Era um homem bom, amigo, engraçado, e tinha piadas novas todos os dias. Quem o conhecia logo notava que Gibe era detalhista, pontual e um profissional de primeira linha. Tinha muito convívio com ele e tinha um coração enorme, ajudava a todos. Dava ideias paras cenas e gostava do que fazia”, declarou Hélio Chiari, diretor de externas do “Programa Silvio Santos”, em comunicado divulgado pela emissora nesta sexta.

Atualmente, Gibe trabalhava como redator do humorístico “Turma do Didi”, da TV Globo. “Comecei uma amizade muito grande com ele na época dos Trapalhões e nesses últimos anos o convidei para escrever para o programa”, disse Renato Aragão em comunicado enviado por e-mail. “Ele sabia tudo sobre piadas circenses e contribuiu muito para o tipo de humor que faço. Vou sentir saudades, ele fará muita falta”.

G1