Por pbagora.com.br
 
 

A programação online Funesc na Rede, desta quinta-feira (22), vai exibir trechos do concerto apresentado pela Orquestra Sinfônica da Paraíba no dia 14 de maio de 2015, com regência do maestro Luiz Carlos Durier, que inicia com a execução de “Abertura Candide”, opereta cômica composta pelo maestro e pianista americano Leonard Bernstein, e segue com o “Concerto para Violino e Orquestra, Op. 82”, do compositor russo Alexander Glazunov, que tem a participação do violinista Vinícius Amaral como solista. A exibição será às 20h, pelo canal da Funesc no YouTube (www.youtube.com/funescpbgov).

O maestro Durier explica que “Candide” foi composta por Bernstein baseada em um conto de Voltaire. “Candide, a personagem, vai em busca de um mundo maravilhoso, mas as suas decepções, suas amarguras, todas as suas tristezas o fazem voltar para casa. A música é especial porque ela é cheia de humor e todos os acentos musicais são deslocados para que a gente tenha um caráter bastante engraçado”, destacou.

Sobre o “Concerto para Violino e Orquestra”, Durier destaca que foi nessa apresentação de maio de 2015 que a OSPB tocou pela primeira vez essa obra, que contém três movimentos, todos interligados. O caráter especial dessa música também foi lembrado pelo solista Vinícius Amaral. “Um concerto pouco tocado, porém muito bonito, muito romântico, com características de melodias muito introspectivas, muito apaixonadas, também de muito brilhantismo”,observou.

Concertos online – Com a pandemia da Covid-19, veio a necessidade de isolamento domiciliar e os concertos das orquestras (profissional e Jovem) foram temporariamente suspensos. Para suprir parcialmente essa ausência, a Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) passou a disponibilizar, em seu canal no YouTube (www.youtube.com.br/funescpbgov) compilações de melhores momentos de apresentações realizadas nas temporadas de anos anteriores. A ação integra a programação online intitulada “Funesc na Rede”.

O solista – Vinícius Amaral (violinista) – Mestre em Música (Práticas Interpretativas – violino) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Vinícius Amaral foi spalla da Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense (OSN/UFF) entre os anos de 2009 e 2012; também foi integrante da Orquestra Petrobras Sinfônica (OPES), da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro (OSTM) e da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB). Como camerista, apresentou-se em diversos estados do Brasil bem como na Alemanha, Suíça, Estados Unidos, África do Sul e Paraguai. Integrou o Quarteto Radamés Gnattali durante o ano de 2009, sendo, com este, vencedor do XIII Prêmio Carlos Gomes de Música Erudita (SP) como melhor conjunto de câmara.

Atuou como solista frente à Orquestra do Johann-Andreas-Schmeller-Gymnasium Nabburg (Alemanha), Orquestra Sinfônica Nacional/UFF, Orquestra Sinfônica da Bahia, Camerata Florianópolis, Orquestra Sinfônica da UFPB, Orquestra de Câmara da Unirio, Orquestra da Escola de Música de Piracicaba, entre outras. Dentre suas premiações em concursos, destacam-se: vencedor do I Concurso Nacional para Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica Nacional/UFF (Niterói, 2001), 1° lugar no XVI Concurso Jovens Instrumentistas Brasil (Piracicaba, 2003), 2° lugar no Concurso Nacional de Cordas “Paulo Bosísio” (Juiz de Fora, 2001 e 2003), vencedor do III Concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica da Bahia (Salvador, 2004).

Foi professor substituto de violino na URFJ, em 2009, lecionando nos cursos de graduação, licenciatura e extensão. Foi selecionado através de audições internacionais pela Youth Orchestra of the Americas para participar da temporada de tournées 2005/2006. Dentre suas aprovações em concursos públicos destacam-se o 1º lugar para o cargo de músico da Orquestra Sinfônica Nacional/UFF (2008), 1º lugar para o cargo de professor substituto de violino da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009), 2º lugar para o cargo de professor auxiliar de violino da mesma instituição (2009), 1º lugar no processo seletivo para o curso de Mestrado em Práticas Interpretativas na UFRJ (2010), e 1º lugar para o cargo de músico (violinista) da Universidade Federal da Paraíba (2012).

O maestro – Luiz Carlos Durier – Paraibano de João Pessoa, Durier é o regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) há 22 anos. Em setembro de 2013 foi nomeado diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB). No ano de 2012, o maestro recebeu a Comenda de Honra ao Mérito, pelo desempenho profissional frente à OSPB.

Entre suas atividades, conduziu a OSPB na gravação ao vivo do CD da cantora Marinês e sua Gente e do DVD Sivuca e os Músicos Paraibanos. Com a OSPB e a OSJPB, esteve a frente de concertos com artistas populares como Ângela Rô Rô, Arnaldo Antunes, Tico Santa Cruz e Renato Rocha (Detonautas), Flávio José, Genival Lacerda, Alcione, Toninho Ferragutti, Geraldo Azevedo e Dominguinhos.

Por cinco anos consecutivos, Luiz Carlos Durier regeu a Orquestra Sinfônica da Paraíba e a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba em concertos comemorativos ao aniversário da cidade de João Pessoa junto a artistas brasileiros. No dia 5 de agosto de 2015, as orquestras paraibanas apresentaram concerto na inauguração do Teatro Pedra do Reino, no Centro de Convenções de João Pessoa, com a participação da cantora carioca Zélia Duncan. No ano seguinte, a apresentação teve como destaque o cantor e compositor paraibano Zé Ramalho; em 2017, as atrações foram as cantoras paraibanas Cátia de França e Nathalia Bellar; em 2018, o também paraibano Chico César foi o destaque, e no ano passado, o concerto em homenagem à cidade de João Pessoa foi realizado na Praça do Povo do Espaço Cultural, seguido pelo show da banda Paralamas do Sucesso.

PB Agora

 
 
Deixe seu Comentário