Por pbagora.com.br

A atriz paraibana de Cajazeiras Macélia Cartaxo ganhou mais um prêmio.  Os filmes Big Jato, de Cláudio Assis e Quintal de André Novais, foram os premiados nas categorias de melhor filme de longa metragem e de curta metragem, respectivamente, no 48º Festival de Brasília de Cinema Brasileiro, que revelou seus vencedores na noite desta terça-feira (22). Esta é a terceira vez que um filme de Cláudio Assis leva o Candango. O Candango de melhor atriz foi para a atriz paraibana Marcélia Cartaxo, que já foi premiada três vezes em Brasília.

 

Com uma produção mais alegre, mas sem deixar de registrar arraigados valores sociais, ainda em vigor no Nordeste, o diretor pernambucano Cláudio Assis era o favorito para receber, na noite de ontem, o troféu Candango de melhor filme do 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

 

Protagonizado por Matheus Nachtergaele, “Big Jato” tem tudo para ser uma unanimidade como foram as produções anteriores de Cláudio, como “Baixio das Bestas”, que recebeu vários prêmios em Brasília, há nove anos. A bem da verdade, não havia muito concorrente para fazer sombra a “Big Jato”.

Em 48 edições, o Festival de Brasília de Cinema Brasileiro consagrou-se como referência nacional no lançamento de curtas e longas-metragens. Apesar de ter sido censurado durante a ditadura militar, neste ano o Festival completa cinco décadas de história e tradição no circuito brasileiro.

 

Confira a lista completa dos vencedores:

a) Prêmios oficiais

Filme de longa metragem
Melhor Filme de longa metragem – R$ 100 mil Big Jato, de Cláudio Assis

Melhor Direção – R$ 20 mil Aly Muritiba, pelo filme Para Minha Amada Morta

Melhor Ator – R$ 10 mil Matheus Nachtergaele, pelo filme Big Jato

Melhor Atriz – R$ 10 mil Marcélia Cartaxo, pelo filme Big Jato

Melhor Ator Coadjuvante – R$ 5 mil Lourinelson Vladimir, por Para Minha Amada Morta

Melhor Atriz Coadjuvante – R$ 5 mil Giuli Biancato, por Para Minha Amada Morta

Melhor Roteiro – R$ 10 mil Hilton Lacerda e Ana Carolina Francisco, por Big Jato

Melhor Fotografia – R$ 10 mil Pablo Baião, pelo filme Para Minha Amada Morta

Melhor Direção de Arte – R$ 10 mil Mônica Palazzo pelo filme Para Minha Amada Morta

Melhor Trilha Sonora – R$ 10 mil DJ Dolores, pelo filme Big Jato

Melhor Som – R$ 10 mil Flávio Gonçalves e Cláudio Bessa, pelo filme Fome

Melhor Montagem – R$ 10 mil João Menna Barreto, por Para Minha Amada Morta

 

Com uma produção mais alegre, mas sem deixar de registrar arraigados valores sociais, ainda em vigor no Nordeste, o diretor pernambucano Cláudio Assis é o favorito para receber, na noite de hoje, o troféu Candango de melhor filme do 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Protagonizado por Matheus Nachtergaele, “Big Jato” tem tudo para ser uma unanimidade como foram as produções anteriores de Cláudio, como “Baixio das Bestas”, que recebeu vários prêmios em Brasília, há nove anos. A bem da verdade, não muito concorrente para fazer sombra a “Big Jato”.

Ele corre por fora para levar a estatueta de melhor ator, que parece destinada a Matheus Nachtergaele, por se desdobrar em dois personagens completamente diferentes em “Big Jato”. O Candango de melhor atriz pode ir para Marcélia Cartaxo, que já foi premiada três vezes em Brasília, ou Mariana Ximenes, por “Prova de Coragem”.

 

Em 2014 Marcelia Cartaxo venceu o 6ª edição do Paulínia Film Festival (SP) com o filme “A História da Eternidade”

 

Redação com agências