O cenário de montanhas, freiras, nazistas malvados e crianças encantadoras embala, à base de muita cantoria, o amor entre o patrão e a babá. A inevitável imagem da atriz Julie Andrews no clássico do cinema volta, agora ao palco, com os mesmos cabelos, o vestido rodado de avental e a voz doce e poderosa na pele da novata Kiara Sasso. O musical A Noviça Rebelde, que estreia amanhã em São Paulo, é a prova de que os espetáculos enlatados da Broadway, ainda que com pitadas tupiniquins, chegaram para ficar.

 

A temporada de Os Produtores, Miss Saigon e afins no ano passado não era apenas uma onda de musicais que invadiu o teatro nacional. Quem aposta nisso são os diretores artísticos Charles Möeller e Cláudio Botelho, criadores de A Noviça e responsáveis por trazer à cidade o festejado Beatles Num Céu de Diamantes. A nova peça é a aposta da dupla para repetir o sucesso conquistado no Rio de Janeiro e se consolidar no mercado de entretenimento paulistano.

 

A artilharia é pesada: a superprodução, que teve investimento de R$ 10 milhões e envolveu nove meses de trabalho, leva 11 cenários de mais de seis toneladas e outros 300 itens de iluminação para os 44 atores. Mas compensa. Só no Rio, A Noviça Rebelde foi vista por mais de 190 mil espectadores. “Nossa Noviça é emocional e o capitão tem sangue latino. As crianças fazem muita bagunça entre uma música e outra. Cantam, mas também fazem bagunça. São autenticamente brasileiras. Mas ninguém vai se sentir traído, é a mesma história”, pondera Charles.

 

O próximo passo é trazer os espetáculos Gypsy e Spring Awakening (O Despertar da Primavera), ambos ainda sem temporada confirmada em São Paulo. Paralelamente, os produtores tentam levar as peças musicais para fora do país. Beatles, por exemplo, já tem data de estreia na Europa, segundo Cláudio. Por isso, ele diz se orgulhar de atuar no que hoje é considerado o ?primo rico? do teatro. “Há um público carente desse tipo de espetáculo e estamos conectados a ele.” As informações são do Jornal da Tarde.

 

A Noviça Rebelde. Teatro Alfa. R. Bento Branco de Andrade Filho, 722. Tel.: (011) 5693-4000. Estreia amanhã, às 21h30. (para o grande público). Qui., às 21h. Sex., às 21h30. Sáb., às 17h e às 21h. Dom., às 16h. Ingressos: de R$ 40 a R$ 180.
 

 

estadao.com,br

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Conto de sábado: “A morte e a morte dos esquecidos pelo mundo”

Eu nasci no Níger, um dos países mais pobres da África. Tenho medo de falar meu nome e descobrir quem realmente sou, por isso omiti minha identidade até esquecê-la. Posso…