Uma instalação feita por um artista brasileiro é um dos destaque deste ano do maior evento de animação, mangá e arte high-tech do Japão, o Japan Media Arts Festival.

A instalação interativa “Oups!”, de Marcio Ambrosio, que mistura movimentos humanos com animação, ganhou o prêmio principal da categoria Arte e foi uma das mais concorridas na abertura da exposição.

Durante os 11 dias de evento, o visitante vai

poder ver, ouvir e interagir também com outras 169 obras, escolhidas de um total de 2.146 inscrições de 44 países.

Nas categorias mangá, entretenimento e animação, os ganhadores foram todos japoneses.

“Tenori-on”, ou algo como “som na palma da mão”, foi um dos vencedores.

Este aparelho funciona como um instrumento musical digital, que mistura sintetizador com sequenciador.

Apresentado ao público em 2005, o aparelho é hoje usado por Bjork, Radiohead, Kraftwerk, entre outros músicos.

Ele foi desenvolvido pelo técnico de som da Yamaha, Yu Nishibori, em parceria com Toshio Iwai.

O mercado de produtos digitais no Japão é um dos mais lucrativos do mundo.

A demanda por novidades é grande e o mercado para arte digital tem crescido nos últimos anos.

Por isto, o festival é considerado um dos mais importantes do país. Ele traz trabalhos que usam as mais novas técnicas e tecnologias digitais.

‘Oups!’

Na instalação do artista brasileiro, a idéia é transformar o visitante no ator principal de uma sequência animada.

É como se estivéssemos no filme Uma Cilada para Roger Rabbit.

“Ele nasceu da vontade de misturar novas tecnologias com a animação clássica de forma artística e ao mesmo tempo lúdica”, contou Ambrosio à BBC.

 

Foi da reação dos primeiros que “viram” o trabalho que surgiu o nome.

“Oups é uma palavra que, quando pronunciada, expressa surpresa quando se tem contato com algo inesperado”, explicou Ambrosio.

A obra surgiu há um ano e já participou de outros festivais. “Mas é a primeira vez que ganho um prêmio com um trabalho”, contou.

 

Formado em desenho industrial e artes, o brasileiro atuou em diferentes áreas como animação, propaganda e pós-produção.

Em 1999, ele foi para a Bélgica, onde trabalhou em estúdios de pós-produção de longas-metragens, documentários e comerciais de propaganda.

Em 2004 formou o coletivo Zzzmutations, criado para produzir curtas-metragens de animação e desenvolver projetos experimentais.

De volta ao Brasil, montou o estúdio de criação Kosmo para aplicar seu talento e experiência no mercado brasileiro.

Agora o artista sonha em criar uma videoteca de animações, um canal para ilustradores, animadores e grafistas de todo o mundo.

“Quem quiser criar uma animação para o Oups! pode me mandar o trabalho e vamos incluí-lo”, disse.

Assim, a cada nova exposição, sempre existirão novidades e animações inéditas, o que dá um caráter de projeto infinito ao trabalho.

 

BBC

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Produção apoiada pela UEPB é selecionada para o Los Angeles Brazilian Film Festival

Concebido como produção alternativa audiovisual, o Cinema Instantâneo tem rendido conquistas de vários troféus e prêmios em importantes festivais do Brasil. Um desses filmes, produzido com apoio da Universidade Estadual…

Jacaré, ex-É O Tchan, agora é policial no Canadá

Você lembra do É o Tchan, o grupo de sucesso dos anos 90? E do Jacaré, o dançarino que ficava entre a loira e a morena? Pois bem, após trabalhar como ator…