A Paraíba o tempo todo  |

Trem de JP fará parte de malha turística

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Nada mais charmoso do que viajar de trem passando por cenários não habituais aos nossos olhos. Com o intuito de formar uma rede nacional de trens integrantes de rotas turísticas em todo o Brasil, o Sebrae, a Associação Brasileira de Trens Turísticos e Culturais (Abottc) e outras entidades reúnem-se amanhã, 26, as 8h, no auditório da CBTU, para discutir a viabilidade da instalação de uma rota férrea aqui no estado. Para a implantação do projeto foram selecionados cerca de 30 destinos indutores para formalizar essas rotas de trem.

No evento de amanhã o consultor do Sebrae, Mário Braga, prestará informações sobre o desenvolvimento da malha de trens e bondes turísticos nacionais já estruturados, como o famoso Bondinho de Santa Tereza, no Rio de Janeiro, e a estrada de Ferro Ouro Preto Mariana, Minas Gerais, além de avaliar as condições e necessidades da malha que leva passageiros de João Pessoa a cidade de Cabedelo. Na manha desta quarta-feira, a equipe do Sebrae e Abottc realizou a viajem feita pelo trem da capital e fez anotações sobre as condições do trem que serão discutidas durante o evento.

“Assim como João Pessoa, o consultor visitará todos os destinos e assim poderá avaliar o quanto em investimentos vão ser necessários fazer para por o proejto em prática. Além do Sebrae e da Abottc, o Governo Federal, através de Ministérios como o do Turismo e da Cultura também mostraram interesse em apoiar e colocar essa malha nacional em prática”, afirma Regina Amorim, gestora do Projeto de Turismo do Sebrae na Paraíba.

As avaliações piloto, as que formularam o modelo de pauta para as outras visitas, foram feitas nos trens turísticos de São Lourenço(MG), Maria Fumaça (RS) e Curitiba (PR). Em abril a caravana avalia o Trem do Pantanal (MS), o Trem do Forró de Recife/Cabo (PE), o Ver de Trem (BA) e o Rio Negrinho/Natal (SC).

Com a implantação do projeto, segundo a Abottc, espera-se injetar cada vez mais turistas nos destinos que cediam essas redes ferroviárias, oferecendo mais um atrativo para a diversão e entretenimento dos visitantes. O projeto também pretende dar uma nova cara para o transporte ferroviário de passageiro no país, que atente tanto para a preservação, quanto para a revitalização dos trechos em atividade e os desativados.

De ferro- A malha ferroviária brasileira é composta de aproximadamente 29 mil quilômetros de ferrovias, com 2.593 locomotivas ativas que transportam 88.133 vagões. O Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT) é responsável por apenas 1% da malha, o restante está concedido à iniciativa privada, ficando sob responsabilidade da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fiscalizar e regular as concessionárias. Dados da ANTT afirmam que a todo ano cerca de 170 bilhões de toneladas quilômetros úteis são transportadas. O custo de frete do transporte ferroviário é em torno de 50% mais baixo em relação ao transporte por rodovias.
 

Assessoria

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe