Por pbagora.com.br

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, disse durante uma coletiva de imprensa que a tragédia que deixou 14 mortos no Morro da Boa Esperança, em Piratininga, na marugada de sábado (10), era de baixa previsibilidade. A declaração contraria depoimentos de moradores da região, que dizem que a área chegou a ser interditada em 2010 após um deslizamento.

“Em 2012 houve inventário sobre área de riscos, nenhum estudo indicava essa área como uma área de alto risco. Sirenes funcionam em Niterói desde 2013, essa comunidade não tinha porque não estavam com apontamentos de alto risco. E mesmo que tivesse sirene, ela não tocaria porque no dia da tragédia não estava chovendo”, explicou Rodrigo.

Wilson Giozza, presidente do Departamento de Recursos Minerais, confirmou que o local do acidente era uma área de baixa visibilidade de risco.

“Houve um estudo para localização das sirenes e esse estudo apontou 42 áreas. Onde aconteceu acidente era de difícil previsibilidade”, disse Giozza.

Ao todo, sete casas foram atingidas e 17 precisaram ser interditadas. Vinte e duas famílias que vivem na região foram afetadas.

De acordo com o prefeito, as 22 famílias atingidas terão apoio financeiro da prefeitura e que serão incluídas no projeto para receber unidades habitacionais em dezembro desse ano, no bairro Fonseca.

“Adotamos protocolo de atuação para as equipes, com assistência psicológica para famílias, vamos entregar 280 unidades habitacionais no fim do ano pra pessoas identificadas em áreas de alto risco. Vamos entregar unidades para as 22 famílias que moram nessas 17 casas interditadas da Boa Esperança no dia 20 de dezembro. Vamos também pedir a inclusão dessas 22 famílias no Aluguel Social em regime de urgência”, acrescentou Rodrigo.

Sirenes funcionam em Niterói desde 2013, essa comunidade não tinha porque não estavam com apontamentos de alto risco.

G1

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Força Tarefa aponta irregularidades nos gastos relacionados à Covid-19

Falta transparência e sobram irregularidades. Essas são as conclusões da Força Tarefa Cidadã, uma iniciativa criada para monitorar gastos públicos dos municípios no enfrentamento à pandemia da Covid-19. A ação…

Governo federal altera regras no programa Minha Casa, Minha Vida

O Governo Federal anunciou mudanças no programa de habitação Minha Casa, Minha Vida. As novas regras são válidas aos beneficiários da faixa 1 do programa, que contempla famílias com renda…