Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), em conjunto com o Ministério Público e com o Juizado Especial do Torcedor, prenderam, na manhã desta sexta-feira (1), três líderes de torcidas organizadas de times de futebol do Rio. Os agentes ainda cumpriram um mandado de condução coercitiva contra um dirigente do Botafogo.

Por volta das 6h, foram presos Manuel de Oliveira Menezes, presidente da Young Flu, que estava em casa em um condomínio fechado em Quintino, na Zona Norte do Rio, Luiz Carlos Torres Júnior, o Fila, vice-presidente da Young Flu, e Ricardo Alexandre Alves, o Pará, presidente da Força Flu.

A polícia também cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do vice-presidente de Estádios do Botafogo, Anderson Simões, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Simões também foi levado para delegacia, alvo de condução coercitiva. Ainda não há informações sobre o que foi apreendido na casa dele.
Alesson Galvão de Souza, presidente da Raça Fla, e Felipe Ferraz de Souza, o Fil, presidente interino da Fúria Jovem do Botafogo, também foram levados para prestar depoimento.

Fil está à frente da Fúria desde a prisão de Luis Felipe Fonseca da Silva, o “Canelão”, presidente da Fúria, que está preso desde agosto, depois de uma briga entre torcedores do Botafogo e do Flamengo. Na época, 49 torcedores foram detidos.
 

Segundo a polícia, durante as investigações foi identificada uma relação promíscua entre clubes e torcidas organizadas, algumas delas banidas dos estádios pela Justiça. Apesar disso, líderes dessas organizadas recebiam regularmente ingressos que eram repassados para cambistas e vendidos com ágio.
Ao todo, serão cumpridos 4 mandados de prisão, 8 de condução coercitiva e 14 de busca e apreensão. Também serão cumpridos mandados no Engenhão, em São Januário, no Maracanã, na Zona Norte, e nas Laranjeiras, na Zona Sul.

G1

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mais de 5.100 pessoas vão ter que devolver dinheiro do Bolsa Família

Segundo o Ministério da Cidadania, 5.100 pessoas que receberam indevidamente recursos do Bolsa Família vão ter que devolver o dinheiro aos cofres públicos. A expectativa da pasta, responsável pelo programa…