A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: Trans Roberta Silva! Toda violência deve ser castigada!

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A história do nosso mundo nos mostra que grupos minoritários e indefesos sempre foram atacados, humilhados e muitas vezes dizimados de nosso planeta: índios, negros, quilombolas, cristãos-evangélicos, judeus, crianças, idosos, professantes de ideologias que não comunga com a preferência da maioria, sem tetos e uma centena de outras classes são descriminadas e perseguidas em nosso mundo, tanto em séculos passados, como em nossos dias.

Hoje, existe uma classe altamente perseguida e humilhada pela sua opção sexual: os homossexuais (Trans e Travestis). Na verdade, você tem o direito de não comungar, não gostar, nem aderir aos princípios deles, porém, jamais, oprimi-los, humilhá-los, nem exterminá-los. Nunca esse poderá ser um direito invocado por você, nem por mim. A cartilha cristã, que é a Bíblia Sagrada, ordena que respeitemos e amemo-nos uns aos outros, não importa sua tendência ou ideologia. Coisas e situações aberrantes estão se passando em nosso mundo e o terrível é que uma nuvem de conformismo tem se alastrado sobre as gentes que vê cada ato arbitrário como algo normal.

Uma atitude horripilante aconteceu no dia 24 de junho de 2021, na bela cidade do Recife, mais propriamente na área do cais, onde um adolescente, não sei se por decisão própria, ou enviado por alguém, ou incentivado por grupos, jogou um líquido inflamável sobre a trans, Roberta Silva, uma cliente sexual, daquela área. Hoje, a temos em estado gravíssimo e de penúria no Hospital da Restauração, daquela grande metrópole nordestina.

Uma vez ouvi de alguém: “Muitas vezes os que perseguem, prostitutas, homossexuais e Trans durante o dia, são os mesmos que os procuram durante as noites, para satisfazerem suas bestialidades e fantasias sexuais”. Deixando essa advertência de lado, nada justifica um ato tresloucado de perversidade vil contra um ser criado por Deus. O Supremo é simplesmente “Amor.”

A trans, Roberta Silva, encontra-se neste momento internada em Recife, onde já perdeu os seus dois braços e algumas outras partes do seu corpo estão afetadas, se vai sair viva dessa? Só Deus sabe. Um caso de horror, que muitas vezes não toca nas emoções e tampouco desperta as atenções das gentes. Quando algo dessa natureza acontece no eixo Rio-São Paulo as atenções são mais fortes, principalmente se envolve vítima com algum sobrenome forte. Quando essas arbitrariedades explodem em rincões nordestinos e principalmente num cais que se situa no quintal de uma grande metrópole como é o Recife, lugar frequentadíssimo por trans e prostitutas, uma única notícia nos telejornais, é apenas o suficiente para descansar a mente pervertida e insensível de grande parte da sociedade e de muitos que poderiam fazer mais para que atitudes como essa, não se repita.

Roberta Silva, um nome sem tradição, comum e corrente, fora dos anais e padrões das famílias lordes e endinheiradas recifenses. Quer sobreviva ou sucumba, que diferença fará nas mentes insanas e doentias de muitos? Contra nenhuma minoria, jamais, devemos admitir ou apoiar, atos brutais e infernais de violência que venham a destruí-las. Por não aceitarmos um estilo de vida diferente do nosso não nos dá o direito de atuar como juízes pervertidos sobre o mesmo.

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      94
      Compartilhe