A escola de samba Mocidade Alegre conquistou o título do carnaval de São Paulo após uma disputa acirrada com a Vai-Vai, que terminou em segundo lugar meio ponto atrás. A apuração terminou no final da tarde desta terça-feira (24) no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte de São Paulo.

A Mocidade somou 359,25 pontos. A Vai-Vai teve 358,75 pontos. A Rosas de Ouro terminou em terceiro lugar (358,25 pontos) e a Gaviões da Fiel ficou em quarto lugar (358 pontos) na classificação final.

As escolas Nenê de Vila Matilde e Unidos do Peruche foram rebaixadas para o Grupo de Acesso.

Dois jurados deram nota 9,75 para a Vai-Vai no quesito fantasia, permitindo à Mocidade abrir meio ponto de vantagem na disputa pelo título.

 A Vai-Vai perde ainda mais 0,25 ponto no quesito evolução. A Mocidade perdeu 0,5 ponto neste mesmo quesito reduzindo a diferença para 0,25 ponto.

 

Fundada em 1967, a escola do bairro do Limão conquistou seu sétimo título do Grupo Especial do carnaval paulista. A Mocidade Alegre havia vencido pela última vez em 2007. Os outros títulos foram conquistados em 1971, 1972, 1973, 1980 e 2004.

Mocidade e Vai-Vai repetiram na apuração o duelo das notas que fizeram no carnaval de 2008. Naquela ocasião, a Vai-Vai terminou vencedora com o título sendo definido no último quesito, com a última nota.

Campeã cantou o coração
Terceira escola a pisar no sambódromo no sábado, a Mocidade Alegre fez uma ode ao coração em suas diversas formas: histórica, lúdica e carnavalesca.

Com o enredo: “Da chama da razão ao palco das emoções… Sou máquina, sou vida, sou coração pulsando forte na avenida”, a vice-campeã do carnaval 2008, ‘pintou” a avenida de vermelho e verde.

Em uma mudança de última hora, a tradicional rainha de bateria da Mocidade, Nani Moreira, não desfilou à frente dos músicos. Ela foi substituída por uma rainha mirim, a Naninha (vídeo acima).

‘Vitória da comunidade’
 

A presidente da Mocidade, Solange Bichara, dedicou a vitória à comunidade. “Estou com o coração a mil por hora”, disse pouco antes de receber o troféu de campeã no Anhembi. Além da festa desta terça-feira, a presidente da escola prometeu outra comemoração, em data ainda não marcada. Isso porque, segundo Solange, por problema de horário, a festa desta terça não poderá ir até muito tarde.

Solange elogiou também a atuação à frente da bateria da menina Marília Silva, 12 anos. “Ela tinha uma carga de vir no lugar da Nani. Estava nervosa, mas deu conta do recado. É a valorização da comunidade desde criança”, disse a presidente.

Festa na quadra
Os torcedores começaram a chregar à quadra da Mocidade, na Zona Norte de São Paulo, por volta do meio-dia. Às 16h30, meia hora após o ínício da apuração e faltando ainda dois quesitos para o resultado, o local já estava lotado e o clima variava de euforia e nervosismo. Para garantir a segurança das pessoas que estão foram até a quadra, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) bloqueou a Avenida Casa Verde, entre a Avenida Professor Celestino Bourroul e a Avenida Engenheiro Caetano Álvares.

Mesmo antes do resultado, a eterna rainha da bateria da escola, Nani Moreira, anunciava que este seria o ano mais feliz da vida dela. Embora pela primeira vez nos últimos nove anos não tenha saído à frente dos músicos uma vez que teve seu primeiro filho há pouco tempo, a dançarina de 30 anos não escondia a emoção da vitória. “Esta é uma emoção especial. Estou realizando dois sonhos: o de ser mãe e o de ver minha escola campeã novamente. Estou tremendo de tanta emoção”, afirmou.

 

G1

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Pronunciamento de Bolsonaro sobre Amazônia é recebido com panelaço pelo Brasil

Cidades brasileiras registraram panelaços na noite desta sexta-feira (23) durante pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre as queimadas na Amazônia. Ele falou em rede nacional de rádio e TV. O…