A vice-governadora Lígia Feliciano se reuniu, nesta terça-feira (16), em Brasília, com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, para discutir o projeto da reforma da Previdência. O partido fechou questão contra a proposta enviada pelo governo ao Congresso Nacional.  

 “O partido sabe da importância de se discutir a Previdência e não vai se furtar a isso, mas não aceita retirar direitos dos trabalhadores. O projeto em análise tem pontos considerados graves e penalizam as mulheres, o homem do campo e os mais pobres”, ressalta Lígia Feliciano, que é vice-presidente nacional de Relações Institucionais do PDT.

Lígia também questionou a proposta de redução do Benefício de Prestação Continuada (BPC). De acordo com o projeto do governo, somente os maiores de 70 anos em condição de miserabilidade terão direito ao benefício no valor atual de um salário mínimo (R$ 998,00). Os idosos com idades entre 60 e 69 anos passarão a receber apenas R$ 400,00.

“Somos contrários a uma proposta como esta, pois dará ao país uma legião de idosos sem recursos para o sustento e aos direitos mais básicos”, assinalou a vice-governadora.    

 

Redação

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: Brasil, o país do samba, rima pobre e horrores sociais

Houve um tempo que esses versos, descolados das mentes de Moraes Moreira e Pepeu Gomes nos proporcionavam alegrias. Poesia simples, frases prontas, alto astral imenso. E assim catávamos noutros carnavais:…

Sorteio da Mega-Sena pode pagar até R$ 200 milhões na quinta-feira

Acumulada há 16 sorteios seguidos, na próxima quinta-feira (27) a Mega-Sena vai dar mais uma chance para um ou mais apostadores, acertarem as seis dezenas da sorte. Sem considerar a…