Por pbagora.com.br

  A Justiça de São Paulo bloqueou quase R$ 2,7 milhões em bens da ex-servidora pública Paula Sayuri Nagamati, apontada por envolvimento na máfia do ISS.
A auditora fiscal era chefe de gabinete do ex-secretário de Finanças Mauro Ricardo. Ela foi exonerada do cargo há quase dois anos.
O bloqueio foi determinado pela 8º Vara da Fazenda Pública de São Paulo por danos aos cofres públicos.
Para a Justiça, há indícios de que a ex-servidora tenha enriquecido ilicitamente e de participação dela no esquema que desviou cerca de R$ 500 milhões dos cofres da Prefeitura de São Paulo.

Na semana passada, a Justiça já havia decretado a indisponibilidade de bens do ex-fiscal Luís Alexandre de Magalhães e da sua ex-mulher. A Justiça acolheu o pedido do Ministério Público que quer que ele devolva R$ 46 milhões aos cofres públicos pela máfia do ISS.
Só no nome do ex-fiscal os promotores encontraram 18 imóveis. Outros 24 estão registrados no nome de Ana Luzia dos Passos Rosa de Magalhães, ex-mulher dele, e de empresas de fachada usadas por Luís Alexandre para lavar o dinheiro do crime.

Luís Alexandre é um dos acusados na máfia do ISS. No mês passado, ele foi preso em flagrante em um bar com R$ 70 mil na mochila. O Ministério Público diz que o ex-fiscal estava extorquindo dinheiro de outros fiscais da Prefeitura para não denunciá-los na investigação. A Justiça decidiu soltar Luís Alexandre dois dias depois.
A máfia do ISS, descoberta em 2013, desviou pelo menos R$ 500 milhões dos cofres da prefeitura. Na época, Luís Alexandre chegou a ser preso junto com outros três fiscais e só foi solto porque aceitou contar o que sabia.

Agressão
Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que o ex-fiscal da Prefeitura de São Paulo Luís Alexandre de Magalhães teve um ataque de fúria no estacionamento de uma churrascaria na Zona Leste de São Paulo, em maio.

O ex-fiscal queria saber onde estava o carro do casal. Luís Alexandre reclamou e parou em frente ao carro em que estava o manobrista. De repente, o ex-fiscal subiu no capô. O manobrista desceu e foi seguido por Luís Alexandre, que tentou agredí-lo.
A confusão só terminou com a chegada da polícia. Todos os envolvidos foram para a delegacia. O delegado de plantão autuou Luís Alexandre por dois crimes: dano ao patrimônio e lesão corporal.
 

G1

Notícias relacionadas

Aguinaldo apresenta nesta 3ª o relatório da Reforma Tributária

O relator da reforma tributária no Congresso Nacional, o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), deve apresentar nesta terça-feira (04),  o relatório da reforma. A perspectiva é que o relatório seja lido…

Inep define prazo para solicitar isenção na taxa de inscrição Enem 2021

Quem faltou na edição passada deverá justificar ausência também no mesmo período A edição de 2021 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ainda não tem um cronograma oficial divulgado…