Os juros bancários caíram em janeiro pelo segundo mês consecutivo, mas ainda estão em um patamar acima do registrado em setembro (mês de piora da crise global), de acordo com o relatório de crédito do Banco Central divulgado nesta quinta-feira.

 

A taxa média geral, incluindo pessoa física e jurídica, caiu de 43,3% para 42,4% ao ano. Em setembro, estava em 40,4% ao ano. Para o consumidor, os juros recuaram mais, de 58,1% para 55,1% ao ano, ainda acima dos 54,8% registrados em outubro. Para as empresas, os juros subiram de 30,7% para 31% ao ano.

 

Houve queda nos juros ao consumidor em todas as modalidades verificadas pelo BC. O cheque especial recuou de 174,9% para 172% ao ano, ainda acima do nível de outubro (170% a.a.). O crédito pessoal caiu de 60,4% para 56,5% ao ano. Aquisição de veículos passou de 36,5% para 34,7% ao ano.

 

Parte da queda na taxa média da pessoa física se deve à redução do spread bancário, a diferença entre a taxa de captação dos bancos e os juros cobrados nos empréstimos. O spread, que subia desde maio, caiu de 45,2 pontos percentuais para 43,6 pontos no mês passado.

 

O spread geral (considerando pessoa física e pessoa jurídica) caiu de 30,7 pontos percentuais para 30,4 pontos no mês passado. No caso das empresas, subiu de 18,4 pontos para 18,8 pontos percentuais.

 

Folha Online

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Previdência deve ser votada em plenário do Senado na próxima terça

O relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), apresentou na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Casa, na quinta-feira (19), o seu relatório das emendas…

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 38 milhões

Neste sábado (21), a Mega-Sena sorteia um prêmio de R$ 38 milhões. As seis dezenas do concurso 2.190 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília, no Espaço Loterias…