O arcebispo de Olinda e do Recife, Dom José Cardoso Sobrinho, quis conversar com os pais de uma menina de 9 anos, que está grávida. O padrasto da criança foi preso na semana passada, em Alagoinha (PE), onde a família vivia, quando se preparava para fugir para a Bahia. Ele teria abusado da menina e seria o pai dos gêmeos que ela está esperando.

A menina teve alta hospitalar na terça-feira (3), no mesmo dia em que aconteceu o encontro. Participaram da reunião, além do arcebispo, o advogado da arquidiocese, Márcio Miranda, o pai da menina grávida, o pároco de Alagoinha, padre Edson Rodrigues, e dois conselheiros tutelares.

Para o arcebispo de Olinda e do Recife, a violência sofrida pela menina não justifica o aborto. “A menina engravidou de maneira totalmente injusta, mas devemos salvar vidas”, disse.

O advogado da Arquidiocese de Olinda e Recife, Márcio Miranda, afirmou que vai denunciar o caso ao Ministério Público de Pernambuco ainda nesta quarta-feira (4). A ideia é impedir que o aborto aconteça.
 

Violência

Segundo a polícia, a menina sofria violência sexual desde os 6 anos. O padrasto também é suspeito de abusar da enteada mais velha, uma adolescente de 14 anos.

A gravidez foi descoberta depois que a criança se queixou de dores e foi levada pela mãe à Casa de Saúde São José, em Pesqueira (PE). No hospital, os médicos descobriram que a garota estava na 16ª semana de gestação.

Os médicos classificaram a gestação da menina como de alto risco, pela idade e por ser de gêmeos. A família dela solicitou a interrupção da gestação, situação que é prevista em lei diante do risco que a menina corre.

 

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Colisão entre dois trens deixa 47 feridos no Metrô de Recife

Um acidente envolvendo dois trens do Metrô de Recife, na manhã desta terça-feira (18), deixou 47 pessoas feridas. De acordo com a CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), responsável pelo…