Um homem que fez um vídeo usando uma arma para apertar os botões da urna, no domingo (7), e publicou em redes sociais, disse que o ato foi uma “brincadeira sem pensar” e que se arrependeu.

Maykon Santana Aníbal, que é de Cornélio Procópio, no Norte Pioneiro do Paraná, está sendo investigado pela Polícia Federal (PF).

Aníbal disse que a ideia surgiu em um “minuto de bobeira” e reconheceu que poderia prejudicá-lo “pela vida inteira”.

Nesta quarta-feira (10), ele teve o celular e arma – que é de brinquedo – apreendidos. Aníbal também prestou depoimento na Delegacia da PF em Londrina, no norte do Paraná, e foi liberado em seguida.

Segundo a PF, ele é investigado por quebra do sigilo do voto. A pena máxima é de dois anos de prisão.

Outros dois eleitores estão sendo investigados porque postaram em redes sociais imagens com arma em cima da urna, informou a polícia. Um caso foi em São Paulo e outro em Sergipe.

“Todas as ações da internet, assim como no mundo real, elas têm consequências. A PF mantém esse monitoramento em redes sociais abertas e a gente utiliza ferramentas que possibilitam identificar as pessoas”, disse o delegado Guilherme Torres, da Diretoria de Inteligência da PF.

G1

 


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Noiva de Gabriel Diniz diz que joias do cantor foram roubadas

Em um desabado publicado no YouTube, Karoline Calheiros, noiva de Gabriel Diniz, respondeu perguntas relacionadas ao cantor, morto após um acidente de helicóptero em maio. Uma das revelações que mais chamou…

Com apoio de paraibanos, Câmara aprova PL que regulamenta vaquejada

O Plenário da Câmara dos Deputados concluiu nesta terça-feira (20) a votação do projeto de lei que regulamenta as práticas da vaquejada, do rodeio e do laço no Brasil (PL 8240/17).…