Por pbagora.com.br

As famílias Gondim e Vital do Rêgo emitiram uma nota nesta quinta-feira (31) criticando as declarações dadas em vídeo, publicado nas redes sociais, pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) defendendo a reedição do AI-5, decreto emitido pela Ditadura Militar nos anos que se seguiram ao golpe de estado de 1964 no Brasil.

Na nota, além do repúdio à declaração do parlamentar, a lembrança do trauma que a ditadura militar deixou nas duas famílias, já que o ex-governador da Paraíba, Pedro Moreno Gondim; e o ex-deputado federal Vital do Rêgo foram cassados pela ditadura. “Nossas famílias foram duplamente alvejadas pelo golpe militar e bem sabemos como foi resistir até os dias de hoje”, diz um trecho da nota.

Veja, abaixo, a nota, na íntegra:

“É repugnante, sob todo e qualquer aspecto, a tentativa de ressuscitar os tempos mais negros deste país, quando milhares perderam suas vidas e outros tantos foram cassados pela ditadura militar, carregando, até hoje, sequelas emocionais e, em muitos casos, até físicas. Mais inaceitável ainda é um membro do Congresso Nacional pedir a volta do AI-5 para banir o livre e democrático movimento social. Nossas famílias foram duplamente alvejadas pelo golpe militar e bem sabemos como foi resistir até os dias de hoje. Que a sociedade enfrente, com coragem, esses atos ditatoriais e não permita que nosso país retroceda à época mais nefasta de sua existência.

Famílias Gondim e Vital do Rêgo”

Assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Governo estuda manter auxílio emergencial com valor menor até março

A ala política do governo estuda prorrogar o pagamento do auxílio emergencial até março de 2021. A ideia é que o benefício, atualmente em R$ 600, seja reduzido para um…

Força Tarefa aponta irregularidades nos gastos relacionados à Covid-19

Falta transparência e sobram irregularidades. Essas são as conclusões da Força Tarefa Cidadã, uma iniciativa criada para monitorar gastos públicos dos municípios no enfrentamento à pandemia da Covid-19. A ação…