Por pbagora.com.br
Foto: Agência Educa Mais Brasil

Baixo desempenho na prova é critério de desclassificação em processos seletivos do governo

O uso correto da gramática e suas aplicações são fundamentais para a construção de um texto adequado às normas da Língua Portuguesa. Tal domínio é requisito em provas de redação de vestibulares do país, incluindo o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cuja nota de desempenho é usada como forma de ingresso nas instituições de ensino superior através dos programas de governo como o Sisu e Prouni.

Devido à tamanha importância de se sair bem na prova de Redação, o momento é temido por muitos estudantes. Contudo, existem fatores que contribuem para minimizar os erros e potencializar o ganho de pontos.

A professora de Redação e Língua Portuguesa, Luiza Menezes, 26, pontua que nessa reta final é importante treinar a escrita e revisar as dissertações dos anos anteriores, principalmente, as dos candidatos que alcançaram nota máxima.

“Nas questões que envolvem a Língua Portuguesa, a gramática é cobrada de maneira aplicada e
contextualizada, geralmente, nas interpretações de texto”, explica Menezes.

Conforme a professora, existem critérios que desclassificam o candidato na redação. Por isso é importante conhecê-los para evitá-los. Listamos, abaixo, os principais erros que devem ser evitados:

– escrever outro tipo de texto que não seja o dissertativo-argumentativo;
– usar caneta de outra cor que não seja preta;
– escrever menos de sete linhas, qualquer que seja o conteúdo;
– escrever o texto total ou predominantemente em idioma estrangeiro;
– entregar a Folha de Redação em branco
– escrever texto ilegível, caracterizado quando dois avaliadores independentes não conseguem ler a redação.

E-book Enem Check
Para auxiliar em todas as disciplinas cobradas no exame mais esperado pelos estudantes, o Enem, o e-book Enem Check traz um cronograma gratuito de estudos para todas as áreas do conhecimento abordadas nas provas.

Dentre o conteúdo abordado, o material indica filmes, séries e livros que contribuem para complementar os conhecimentos de forma mais espontânea.

O e-book também ajuda a descobrir quais são os assuntos mais cobrados no Enem em todas as disciplinas.

Enem 2020
Ao todo, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos no exame, segundo dados do Ministério da Educação (MEC). O Enem 2020, que foi adiado para este ano por causa da pandemia do novo coronavírus, terá uma versão impressa a ser realizada nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Até o momento não há previsão de novo adiamento das provas, conforme anúncio do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes.

Para tanto, serão adotadas medidas de segurança em todos os dias de aplicação do exame, tanto para a avaliação impressa quanto digital. Dentre as medidas anunciadas pelo Inep estão: redução de estudantes por sala, para garantir o distanciamento entre os participantes; uso obrigatório de máscaras de proteção da forma correta, tapando o nariz e a boca, sob pena de eliminação do exame e disponibilização de álcool em gel em todos os locais de aplicação.

Quem for diagnosticado com Covid-19 ou apresentar sintomas dessa ou de outras doenças infectocontagiosas até a data do exame não deverá comparecer ao local de prova e precisará entrar em contato com o Inep pela Página do Participante, ou pelo telefone 0800-616161, para pedir reaplicação do exame.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil