A Paraíba o tempo todo  |

Assembleia aprova moção proposta por Tião, de solidariedade a religiosos agredidos por deputado

Cristão católico convicto,  o deputado estadual Tião Gomes (Avante) propôs na Assembleia Legislativa da Paraíba, uma moção de solidariedade ao Bispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, e ao Papa Francisco, pelas agressões verbais contra eles desferidas pelo deputado paulista Frederico D’ávila (PSL-SP).

Aprovada com esmagadora maioria de votos, a moção proposta por Tião é extensiva à Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), assim como a toda a comunidade católica brasileira, também atingidas pelos impropérios do parlamentar bolsonarista.

Contextualizando

De acordo com o que a imprensa nacional divulgou, Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida, tornou-se alvo dos ataques de grupos fascistas pró-Bolsonaro. A reação se deu logo após ele haver proferido um sermão  em celebração da Padroeira do Brasil, em defesa da vida, da vacina, da democracia e contra a corrupção, o ódio, as fake news e as armas

Na esteira da violenta reação da ultradireira, o deputado  Frederico D’Avila fez um discurso ofensivo, chegando a chamar Dom Orlando, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Papa Francisco de “vagabundos” e de modo geral as pessoas que discordam dos desmandos do presidente da República de “gentalha”.

Para fundamentar o pedido de moção,  o deputado paraibano relatou o fato, no plenário da Casa de Epitáfio Pessoa.

A propósito do fato, Tião Gomes observou que não se pode confundir liberdade de expressão com crime. Para ele, todos os impropérios do parlamentar Paulista contra os religiosos foram interpretadas pela comunidade católica “como flexão envenenadas”.

Vice-presidente da Assembleia Legislativa da Paraiba,  Tião Gomes pediu que as posições da Casa, com relação a este fatos, fossem tiradas públicas para conhecimento do povo da Igreja Católica.

Adriano

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraiba,  Adriano Galdino,  acostou-se ao discurso de Tião Gomes e disse que imediatamente o Poder Legislativo iria emitir a nota de solidariedade.

O caso em questão teve grande repercussão no Brasil.

Wellington Farias

PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe