A efemeridade do mundo da moda é bem conhecida e os descontos que se promovem,
principalmente em épocas como a Black Friday, tornam muito difícil a promoção de
uma consciência de reutilização. Venha saber como as épocas de desconto podem
impactar negativamente na ecologia.

A maioria dos produtos do mundo da moda são profundamente efémeros. Hoje, a
reutilização dos produtos é algo raro, na medida em que as tendências ditam que se
acompanhe, a par e passo, todas as novidades no que respeita a calçado, roupa e
acessórios.

As épocas de desconto tornam-se ainda mais prejudiciais, na medida em que tornam o
acesso a estes produtos mais simples e económicos, fazendo com que a visão consumista supere a ecológica e motivando a compra de produtos, mesmo quando estes não são, de facto, essenciais.

A Black Friday é uma das épocas promocionais mais aclamadas no mundo e, embora
tenha a sua origem nos Estados Unidos da América, viria a tornar-se uma verdadeira
febre internacional.

Este período de promoções, bem como as épocas de saldos e outros momentos de
desconto fazem com que se crie uma ação pouco sustentável no momento do consumo, apoiando as atitudes menos ecológicas com a apresentação de custos de venda mais acessíveis.

Assim, em vez de seguir algumas das linhas sustentáveis e vanguardistas, como aquelas
que propõe o aluguel de roupas, estas ações levam a que a troca de guarda-roupa se
torne mais simples e fazem com que muitas peças antigas se transformem em
desperdício.

Venha compreender melhor o impacto das grandes promoções do século na destruição
do meio ambiente.

Como as promoções geram poluição

Os saldos, os descontos, as ações promocionais e, principalmente, os momentos de
elevado consumo a baixo custo, como a eufórica Black Friday são responsáveis por um
grande aumento no consumo internacional, seja de moda, de eletrodomésticos ou de
gadgets.

Colocando produtos dispendiosos a valores acessíveis para todos, estes descontos
motivam a compra de produtos, mesmo quando a sua aquisição não é fundamental. Esta ação, não só motiva a sobreprodução como faz com que muitos instrumentos e
elementos de uso quotidiano sejam precocemente descartados e se transformem, assim, em lixo; agravando a condição ecológica do planeta.

O consumismo e o pensamento ecológico: serão coadunáveis?

Muitas lojas e marcas têm tentado, sem remover os seus períodos de promoção e sem
deixarem de aderir a momentos como a Black Friday, demonstrar que têm, também,
uma preocupação com a sustentabilidade.

Embora o comércio e o consumo sejam uma evidente parte da forma como estas marcas gerem a sua existência, ,estas não deixam de começar a utilizar alguns materiais mais sustentáveis na sua produção ou mesmo a lançar campanhas promocionais sobre a reutilização de roupas (algumas das quais recebendo as mesmas para a caridade) ou
comerciais onde incentivam à proteção do planeta.

São ainda muitas as marcas que apoiam financeiramente causas ambientais, numa ação
filantrópica e muitas as que aproveitam o seu estatuto para a difusão de fortes
mensagens sobre a necessidade de proteger a Terra.

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Defesa Civil confirma 14 mortes na Grande BH por causa da chuva

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais informou, neste sábado (25), que 14 pessoas morreram em decorrência das chuvas que atingem o estado nos últimos dias. A informação…

Morre Ibsen Pinheiro, ex-presidente da Câmara dos Deputados

Morreu nesta sexta-feira (24), aos 84 anos, o ex-deputado Ibsen Pinheiro. Ele foi presidente da Câmara durante o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello, em 1992. Ibsen estava…