Por pbagora.com.br

A efemeridade do mundo da moda é bem conhecida e os descontos que se promovem,
principalmente em épocas como a Black Friday, tornam muito difícil a promoção de
uma consciência de reutilização. Venha saber como as épocas de desconto podem
impactar negativamente na ecologia.

A maioria dos produtos do mundo da moda são profundamente efémeros. Hoje, a
reutilização dos produtos é algo raro, na medida em que as tendências ditam que se
acompanhe, a par e passo, todas as novidades no que respeita a calçado, roupa e
acessórios.

As épocas de desconto tornam-se ainda mais prejudiciais, na medida em que tornam o
acesso a estes produtos mais simples e económicos, fazendo com que a visão consumista supere a ecológica e motivando a compra de produtos, mesmo quando estes não são, de facto, essenciais.

A Black Friday é uma das épocas promocionais mais aclamadas no mundo e, embora
tenha a sua origem nos Estados Unidos da América, viria a tornar-se uma verdadeira
febre internacional.

Este período de promoções, bem como as épocas de saldos e outros momentos de
desconto fazem com que se crie uma ação pouco sustentável no momento do consumo, apoiando as atitudes menos ecológicas com a apresentação de custos de venda mais acessíveis.

Assim, em vez de seguir algumas das linhas sustentáveis e vanguardistas, como aquelas
que propõe o aluguel de roupas, estas ações levam a que a troca de guarda-roupa se
torne mais simples e fazem com que muitas peças antigas se transformem em
desperdício.

Venha compreender melhor o impacto das grandes promoções do século na destruição
do meio ambiente.

Como as promoções geram poluição

Os saldos, os descontos, as ações promocionais e, principalmente, os momentos de
elevado consumo a baixo custo, como a eufórica Black Friday são responsáveis por um
grande aumento no consumo internacional, seja de moda, de eletrodomésticos ou de
gadgets.

Colocando produtos dispendiosos a valores acessíveis para todos, estes descontos
motivam a compra de produtos, mesmo quando a sua aquisição não é fundamental. Esta ação, não só motiva a sobreprodução como faz com que muitos instrumentos e
elementos de uso quotidiano sejam precocemente descartados e se transformem, assim, em lixo; agravando a condição ecológica do planeta.

O consumismo e o pensamento ecológico: serão coadunáveis?

Muitas lojas e marcas têm tentado, sem remover os seus períodos de promoção e sem
deixarem de aderir a momentos como a Black Friday, demonstrar que têm, também,
uma preocupação com a sustentabilidade.

Embora o comércio e o consumo sejam uma evidente parte da forma como estas marcas gerem a sua existência, ,estas não deixam de começar a utilizar alguns materiais mais sustentáveis na sua produção ou mesmo a lançar campanhas promocionais sobre a reutilização de roupas (algumas das quais recebendo as mesmas para a caridade) ou
comerciais onde incentivam à proteção do planeta.

São ainda muitas as marcas que apoiam financeiramente causas ambientais, numa ação
filantrópica e muitas as que aproveitam o seu estatuto para a difusão de fortes
mensagens sobre a necessidade de proteger a Terra.

Notícias relacionadas

Senado aprova PEC do auxílio emergencial em 2º turno

Um dia após o país registrar novo recorde de mortes pela covid-19, o Senado aprovou nesta quinta-feira (04/03) a PEC Emergencial, proposta de alteração da Constituição que cria mecanismos para…

Profissionalização dá sobrevida ao mercado gastronômico na pandemia

Com foco em empreendedorismo, Instituto Gourmet auxilia profissionais do ramo No auge da pandemia de Covid-19, ainda em 2020, previsões davam conta de grandes prejuízos no setor de Gastronomia. Com…