O advogado Marco Polo Levorin afirmou nesta terça-feira que decidiu abandonar o caso do casal Nardoni, acusado de matar a menina Isabella Nardoni. Levorin afirmou que não defende mais o casal desde a segunda-feira por causa de divergências profissionais e processuais. Contudo, o advogado disse que não houve divergência com o casal, mas não quis dar maiores detalhes. Não há informações sobre quem assume a defesa.

Em março, a Justiça decidiu que Alexandre Nardoni, pai de Isabella, e Anna Carolina Jatobá devem ir a júri popular. Os dois são acusados de matar a menina em março do ano passado.

Relembre o caso
Isabella Nardoni, 5 anos, foi encontrada ferida no dia 29 de março de 2008 no jardim do prédio onde moravam o pai Alexandre Nardoni e a madrasta Anna Carolina Jatobá, na zona norte de São Paulo. Segundo os Bombeiros, a menina chegou a ser socorrida e levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 0h.

O inquérito policial apontou que ela foi agredida, asfixiada e jogada do sexto andar do edifício. No dia 18 de abril, Alexandre e Anna Carolina foram indiciados por homicídio doloso, triplamente qualificado. No dia 6 de maio, o promotor Francisco Cembranelli denunciou e pediu a prisão preventiva do casal, aceita pela Justiça.

Alexandre está preso na Penitenciária Dr. José Augusto Salgado (P-2), em Tremembé (SP), e Anna Carolina, na Penitenciária Feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, também em Tremembé. No último dia 24, a Justiça de São Paulo negou recurso do casal e determinou que os dois devem ir a júri popular. A defesa afirmou que vai recorrer da decisão.
 

 

Terra

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Aguinaldo comemora aprovação de ajuda emergencial para o setor cultural

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nessa terça-feira (26) ajuda de R$ 3 bilhões ao setor cultural durante a crise causada pelo novo coronavírus. O montante será repassado aos…

Brasil perde mais de 860 mil empregos formais em abril

As demissões superaram as contratações com carteira assinada em 860.503 postos de trabalho, em abril. Foram 1.459.099 desligamentos e 598.596 contratações. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados…