Por pbagora.com.br

 Unidades de Saúde da Família têm realizado ações continuas no cuidado à saúde dos usuários. Nesta terça-feira (31), os profissionais da Unidade de Saúde da Família (USF) Integrando Vidas e do Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Cvaz) estarão realizando diversas atividades de orientação e combate à dengue. A concentração será a partir das 7h30 na Rua Wilson de Moura Almeida, na comunidade Nova República, bairro João Paulo.

 

Na ocasião, os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) estarão distribuindo panfletos informativos e tirando dúvidas sobre o tema, e os agentes de Vigilância Ambiental farão visitas domiciliares para monitorar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti e o combate direto ao vetor.

 

De acordo com a diretora do Distrito Sanitário II, Ana Giovana, essas atividades evidenciam que é possível e essencial que o poder público e sociedade andem juntos. “Nosso trabalho é orientar e alertar à população para os riscos da doença. Estamos promovendo uma ação preventiva, sobretudo, para um resultado eficaz, a responsabilidade também é de cada cidadão”, orientou a diretora.

 

“Trabalhamos, principalmente, de forma educativa e de conscientização, para que as pessoas compreendam que a luta contra a dengue parte de cada indivíduo para o bem da coletividade. As atividades devem começar em casa, evitando água acumulada em lugar indevido. Basta que cada um faça sua parte”, reforçou Ana Giovanna.

 

Ciclo de vida – O Aedes aegytpi prefere o ambiente úmido para colocar seus ovos, que podem sobreviver até 450 dias nesse local. Bastam alguns milímetros de água para eles eclodirem e, em uma semana, transformarem-se em mosquitos adultos. O ciclo de vida do mosquito é de 35 dias, mas o número de pessoas que ele pode infectar é ilimitado.

 

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos, eliminando o acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, garrafas, caixas d’água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras.

 

Para mais informações sobre a doença ou denuncia de possíveis criadouros a população pode entrar em contato com o serviço Disque Dengue pelo telefone 3214-5718.

 

Secom-JP

Deixe seu Comentário